Sinfônica de Campinas apresenta a cantata Carmina Burana, de Carl Orff

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas apresenta a cantata Carmina Burana, obra do compositor Carl Orff, nos dias 7, 8 de maio, quinta e sexta-feira, no Teatro Municipal “José de Castro Mendes”, às 20h, e no dia 9, sábado, às 18h na Estação Cultura “Prefeito Antonio da Costa Santos”.
Madelene Vásquez Villarroel @ Divulgação
Madelene Vásquez Villarroel @ Divulgação

A regência é do maestro titular Victor Hugo Toro e contará com a participação do coros do Collegium Vocale Campinas, do Madrigal Vivace e dos Meninos Cantores de Campinas, além dos solista convidados, a soprano Madelene Vásquez Villarroel, o contratenor Paulo Mestre e o barítono Alfonso Mujica.

Carl Off escreveu Carmina Burana quando era regente da Sociedade Bach de Munique, entre 1930 e 1933, inspirado em poemas medievais, como o O Fortuna, criado entre os anos 1100 e 1200, o prólogo famoso da peça, que estreou em Frankfurt em 1937.
A peça se divide depois em três partes. Na primeira, o tom é alegre e festivo, com o som de corais e solistas, trompetes e trombones. A segunda parte é um pouco mais pesada e retrata jogatina e bebedeira e a terceira trata de questões relativas ao amor em várias formas, embaladas por coro com flauta e pela soprano.
Antes de Carmina Burana, o maestro Victor Hugo Toro executa “Dança dos Marinheiros Russos do balé ‘A Papoula Vermelha’”, de Reinhold Glière. Esta obra foi composta entre 1926 e 1927, cujo enredo destaca um porto na China, com marinheiros de diversas nacionalidades.
Depois de Glière, também será apresenta “Vocalise, op 34, nº 14” de Sergei Rachmaninoff. A peça é a última de um ciclo de 14 canções para voz. No entanto, o nome se refere a uma canção para voz, mas sem palavras.
No Castro Mendes, o concerto custa R$ 30,00 (inteira) e na Estação Cultura, a entrada é franca.