Oscar 2017 | Polêmica: Meryl Streep desiste de usar Chanel

Segundo o portal WWD, Meryl Streep escolheu um modelo cinza da coleção Alta Costura Chanel para usar no Oscar 2017. Solicitou alguns ajustes, como diminuir o decote, que o ateliê prontamente estava preparando, porém, uma ligação de representantes da atriz avisou que ela não usaria mais o modelo. Segundo Karl explicou ao WWD: “Eu fiz um croqui e nós começamos o vestido, mas recebemos uma mensagem que dizia ‘não continue o vestido. Encontramos alguém que vai nos pagar’”, declarou o estilista.

Meryl Streep veste Lanvin
Meryl Streep veste Lanvin no Oscar 2012 @ Getty Images

Segundo o mesmo, a casa não paga vestir celebridades. “Mesmo a gente dando a ela um vestido de 100 mil euros, acabamos descobrindo mais tarde que também precisávamos pagar para que ela o usasse”, contou o kaiser. “Nós damos os vestidos a elas. Nós fazemos os vestidos, mas nós não pagamos”, desabafou.

Representantes da atriz entraram em contato com o portal Hollywood Reporter negando a informação. Acrescentaram que a atriz não cobra para usar roupa de ninguém, pois isto é contra o que ela acredita. Ninguém da maison Chanel quis falar sobre o assunto.

Paga ou não paga?
O assunto fez a alegria dos haters na manhã dessa segunda-feira, 24 de fevereiro, trazendo à tona a discussão: as atrizes são pagas ou não para usar os modelos no tapete vermelho?
A editora de estilo Elizabeth Saltzman, que trabalha com Gwyneth Paltrow e Uma Thurman, contou ao portal britânico Business of Fashion que é comum as marcas negarem o envolvimento de dinheiro na negociação dos vestidos, mas que, na maioria das vezes, elas estão mentindo. “Alguém paga em algum momento. Mas eu nunca faria um negócio apenas pelo dinheiro. Eu já fiz muitos trabalhos em que não havia dinheiro envolvido porque não parecia certo. Eu quero que as minhas clientes se vistam de forma diferente. Eu quero que elas usem o melhor vestido para elas. Eu não vou me vender por isso”, contou.

Oscar 2016 Julianne Moore veste Chanel @ Getty1
Oscar 2016 Julianne Moore veste Chanel @ Getty1

Funciona assim: alguns meses antes das premiações, os profissionais começam a conversar com o marketing das marcas e acessórios para escolherem opções para as suas clientes. Para garantir que a celebridade vá usar um de seus looks, as casas fecham contratos que rendem um pagamento a esses stylists. Dependendo do evento, como um Oscar ou um Globo de Ouro, um stylist de renome pode receber entre US$ 25 mil e US$ 50 mil. Quando se fala em joias, o valor é um pouco menor, e vai de US$ 5 mil a US$ 10 mil, enquanto o de um maquiador até US$ 45 mil ao aceitar usar os produtos de uma marca de beleza e dar os devidos créditos em fotos e entrevistas.
De acordo com a investigação do portal, celebridades ainda podem faturar entre US$ 150 mil e US$ 250 mil para usar um vestido. Quando esses pagamentos acontecem, eles costumam ser vistos como uma situação em que todos ganham, inclusive no caso de premiações de filmes independentes ou produções menores, que não costumam ter um orçamento dedicado a este tipo de negociação.

Oscar 2016 Daisy Ridley veste Chanel Haute Couture (Photo by Steve Granitz/WireImage)
Oscar 2016 Daisy Ridley veste Chanel Haute Couture (Photo by Steve Granitz/WireImage)

“Às vezes, se o estúdio não tem um orçamento para a atriz, eu converso com uma marca com a qual já tenho um relacionamento e digo ‘Ei, eu tenho uma pessoa nesse filme, ele não é muito grande, mas recebeu indicações. Você quer fazer parte disso?’”. A conversa pode garantir não só uma taxa para o própria stylist, como também para a atriz, que recebe um valor para virar exclusividade da marca no tapete vermelho.
Os profissionais acabam se tornando o ele entre atores e grandes maisons, e esse é outro motivo pelo qual a tal “taxa de pagamento” acabou virando um hábito: é uma forma de reconhecer o profissional que apresentou um novo talento para a marca – pense nas atrizes que começam pequeno, mas estouraram de uma hora para outra tanto na indústria cinematográfica quanto na da moda.

Critics Choice Awards 2016 Kirsten Dunst veste Chanel Couture e sapatos Roger Vivier @ Getty
Critics Choice Awards 2016 Kirsten Dunst veste Chanel Couture e sapatos Roger Vivier @ Getty

Assim como esse tipo de negociação pode ser benéfica, é incontestável que ela tem um lado negativo: algumas vezes, acontece de stylists fecharem negócios com marcas sem o conhecimento de suas clientes e, então, terem que convencê-las a usar um modelo por causa do dinheiro, o que pode gerar tensões e brigas. Afinal, o profissional está lucrando em cima da atriz sem considerar o que é melhor para ela.
(Fonte: Elle)