Coletivo fotográfico feminino “Carolinas” apresenta a mostra “ReExistir” no MIS

Uma das atrações da 10ª Mostra Luta!, em cartaz no Museu de Imagem e Som de Campinas, a exposição ReExistir é a primeira intervenção do coletivo feminino “Carolinas”, formado pelas fotógrafas Cintia Antunes, Fabiana Ribeiro, Gabriela Zanardi, Sandra Lopes e pela especialista cultural, Juliana Siqueira. A abertura acontece na quarta-feira, 25 de outubro, às 19h, seguida de roda de conversa com as autoras e convidadas.
A mostra reúne 20 imagens impressas em tecido nas dimensões 1,20 metro x 0,80 centímetros. A opção por este tipo de suporte é uma das propostas do grupo que busca a tridimensionalidade das imagens, uma vez que o tecido tem movimento e interage com o espaço.

Exposição ReExistir Nular @ Gabriella Zanardi

Para o coletivo “é importante estar no espaço público e poder empoderar linguagem e voz feminina que sofrem constantemente com as tentativas de silenciamento muitas vezes brutal. Ocupar os espaços e discutir dentro deles as questões das mulheres, trabalhador@s, negr@s, indígenas, estudantes, LGBTs, movimentos sociais e problematizar as discussões e conteúdos para a reconstrução democrática”.

Ensaio_Empodera @ Cintia Antunes

“ReExistir traz algumas proposições do existir e resistir no Brasil pós-golpe em que temos lutas constantes por direitos básicos como saúde, moradia, educação, cultura, gênero e identidade onde democracia e liberdade são ameaçadas constantemente pelo ultraconservadorismo que mostra a face fascista, não dialética, cheia de ódio e violência. As minorias que são a grande maioria da nossa população brasileira sofrem com as tentativas de invisibilidade e cerceamento das vozes. Só assim nos tornamos protagonistas da nossa própria história”, conclui.

Exposição ReExistir @ Sandra Lopes

Coletivo Carolinas

O nome “Carolinas” surgiu da ideia de incluir as diferentes linguagens femininas fotográficas e suas autoras. Uma homenagem à escritora negra Carolina de Jesus é à educadora Carolina Florence e “a outras mulheres expressivas da história da fotografia, como Vivian Maier, Diane Arbus, Helen Levitt, Dorothea Lange”. O coletivo também cita Gerda Taro, “a primeira fotógrafa a morrer em uma guerra, e que é muitas vezes ofuscada pois várias de suas fotografias são atribuídas ao companheiro da época, o fotógrafo Robert Capa”.
No Brasil, nomes emblemáticos da fotografia são Alice Brill, Claudia Andujar, Nair Benedicto, Monica Zaratinni e Marlene Bergamo.
Na diversidade de linguagens, “Carolinas” tem a proposta de ser inclusivo e agregar a produção feminina local no processo de democratização de imagens e informações.

Exposição ReExistir Mandela @ Fabiana Ribeiro

Serviço
Exposição “ReExistir”
Abertura: 25 de outubro, 19h
Visitação: 25 de outubro a 26 de novembro
Horário: terça a sexta, das 10h às 20h | sábados, das 10h às 16h
Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (Rua Regente Feijó, 859 – Centro – Campinas.SP).
Entrada gratuita

Sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s