Confira os preferidos do MONDO MODA para o Oscar 2018

O romance gay ‘Me Chame Pelo Seu Nome’, o drama político ‘O Destino de Uma Nação’, o drama de guerra ‘Dunkirk’, o terror com toques racistas ‘Corra!’, a dramédia feminina ‘Lady Bird: A Hora de Voar’, o melancólico ‘Trama Fantasma’, o drama jornalístico ‘The Post: A Guerra Secreta’, a fábula fantástica A Forma da Água’ e a dramédia de justiça ‘Três Anúncios Para um Crime’ concorrem ao prêmio de Melhor Filme no Oscar 2018, que acontecerá no domingo, 04 de março, com exibição às 22h, no TNT – a Rede Globo exibirá depois do BBB, entre 23h30, meia-noite ou só Deus saberá…
Num ano de boa safra, nenhum filme é sensacional. Com a vitória no Sindicato de Produtores, ‘A Forma da Água’ é o favorito. A produção tem ‘cara de Oscar’, mas tem alguns problemas de roteiro.

‘Três Anúncios Para Crime’, ‘Corra!’ e ‘Trama Fantasma’ estão acima da média. O primeiro tem boas chances, principalmente porque Hollywood discute o empoderamento feminino. Porém, a ausência de Martin McDonagh na lista dos melhores diretores pode ser um entrave.
Mesmo com a atuação de Daniel Day-Lewis, ‘Trama Fantasma’ sairá de mãos vazias. É um filme ‘intelectual’, ‘introspectivo’ e ‘discreto’ demais para os temas edificantes que os acadêmicos gostam.
Ousadia seria a premiação do terror com discussão sobre racismo ‘Corra!’.

Direção

O mexicano Guillermo del Doro é o franco favorito. Prêmio do Sindicado dos Diretores, BAFTA, Globo de Ouro, Critic’s Choice , Festival de Veneza e 18 associações de críticos americanos.
Ousadia seria premiar Jordan Peele por ‘Corra!’. Seria o primeiro diretor negro premiado com um Oscar. Ou Greta Gerwig, pela sensível dramédia feminina ‘Lady Bird’.

Ator

O ano é do britânico, Gary Oldman pelo papel do primeiro-ministro Winston Churchill, em ‘O Destino de uma Nação’. O filme é chato, arrastado e o personagem quase beira ao histriônico, porém, é o momento de Gary – muito mais pelo tempo de carreira no cinema do que uma atuação que lembraremos daqui dez anos. Enfim…
Em sua oitava nomeação, Denzel Washington se tornou o ator negro mais indicado ao Oscar (ele ganhou duas vezes, por ‘Dias de Treinamento’, em 2002 e ‘Tempo de Glória’, em 1991). Sua atuação no ótimo ‘Roman J. Israel, Esq’ é ótima, mas nada excepcional. De qualquer forma, é um filme que merece ser conhecido.

Trama Fantasma (2018) @ divulgação

Ousadia, isto sim, seria premiar Daniel Day-Lewis em ‘Trama Fantasma’. É o melhor ator das últimas três décadas. Dono de um currículo genial – tirando um ou dois filmes menores (como ‘Nine’ e ‘O Mundo de Jack e Rose’), Daniel sempre mostra ‘algo mais’. Não é um ator que faz filmes só para garantir um troco. Entre ‘Lincolm’ (que garantiu seu terceiro Oscar de Melhor Ator) e ‘Trama Fantasma’ foram cinco anos. Seu Reynolds Woodcock é discreto e chato – muito chato, a propósito, mas muito melancólico  – é um homem digno de pena, no final das contas. Se essa realmente for sua última atuação, o cinema perderá um de seus maiores atores da história.

Atriz

A Mildred de Frances McDomard é o show de ‘Três Anúncios Para um Crime’. Melhor personagem feminina de 2017, ela é uma mulher complexa, cheia de matizes, incertezas, inseguranças e sarcasmo. Inconformada pela lentidão da justiça sobre a conclusão da morte da filha, ela busca justiça. Frances transita pelo drama, falta de bom senso, coragem, ousadia e farta de ironia com uma maestria digna de uma grande atriz. Sua vitória é certa.

Frances McDormand em Três Anúncios Para um Crime @ Divulgação

Até começar a temporada de prêmios, Sally Hawkins, a personagem muda de ‘A Forma da Água’, era a bola da vez, sendo a escolhida por 15 associações de críticos americanos, porém, as primeiras vitórias de Frances sabotaram suas chances.
A jovem Saiorse Ronan é ótima. Sua atuação em ‘Lady Bird’ é bacana, mas nada além disso.

Coadjuvantes

Ano passado, Viola Davis atraiu uma legião de torcedores para sua vitória na corrida pelo prêmio de Atriz Coadjuvante, porém, nesse ano, nenhum dos coadjuvantes despertarão tamanho interesse.

Seguindo a matemática dos prêmios dos Sindicatos, Allison Janney (‘Eu, Tonya’) e Sam Rockwell (‘Três Anúncios Para um Crime’) serão os escolhidos. Merecidos, é importante ressaltar, pois ambos estão ótimos – mesmo em personagens histriônicos.
Ousadia, seria isto sim, a vitória de Willen Dafoe, por ‘Projeto Flórida’. É seu melhor papel desde que surgiu em ‘Platoon’, em 1986. Sem contar que seria um impulso para conhecer ao ótimo filme, que ficou de fora entres os Melhores do Ano.