MET 2018 | Confira algumas peças da exposição ‘Corpos Celestes: Moda e Imaginação Católico’

O MET Gala acontece nessa segunda-feira (07) reunindo o mais poderoso exército de fashionistas liderado por Rihanna, Amal Clooney e Donatella Versace, as anfitriãs da noite. O evento marca a abertura da exposição de moda Corpos Celestes: Moda e Imaginação Católica, que celebra a influência da Igreja Católica na moda por mais nos últimos 1700 anos, resumido em 40 vestes e acessórios.
As peças religiosas abrangem 15 papados e foram coletadas pelo curador em mais de 10 visitas ao país sede da Igreja Católica. Alguns itens datam do ano 500, como um mosaico que retrata uma mulher com joias segurando uma ferramenta de medição de pés. Também será exposto uma capa de seda branca bordada com fios de ouro do Papa Bento XV, que governou a Igreja há cerca de 100 anos, e um chapéu pontudo do Papa Leão XIII, que ocupou o posto há mais de 200 anos.

MET 2018 Heavenly Bodies- Fashion and the Catholic Imagination @ Getty

“Alguns podem considerar a moda como um meio impróprio ou inconveniente para se envolver com ideias sobre o sagrado ou o divino, mas o vestuário é fundamental para qualquer discussão sobre religião. Ela afirma lealdades religiosas e, por extensão, afirma as diferenças religiosas”, explicou o curador da exposição, Andrew Bolton, em uma coletiva de imprensa.

MET 2018 Heavenly Bodies- Fashion and the Catholic Imagination @ Getty

O tema de 2018 está causando, principalmente por misturar peças cedidas pela Igreja ao lado de vestidos de alta costura de Coco Chanel, John Galliano, Cristóbal Balenciaga e Versace, que é uma das patrocinadoras da exposição deste ano. “A exposição é sobre a influência das imagens católicas nos designers. Assim, de certa forma, é uma série de intervenções, forjando diálogos entre a moda e a exibição de artes religiosas dentro no contexto de um museu. Um exemplo é a última coleção de Gianni Versace, que foi inspirada nos micromosaicos da Catedral de Ravenna. Um dos destaques é conjunto para noite de John Galliano for House of Dior, uma espécie de invenção da imaginação de John de um papa”, relata Andrew.”