Apesar de anunciar mudanças, o futuro do Globo de Ouro ainda é nebuloso

Depois que Tom Cruise anunciou que irá devolver as três estatuetas que recebeu como melhor ator, sofrer boicotes da Netflix, da Amazon e até da NBC, emissora que transmite a cerimônia da premiação anualmente, o Globo de Ouro divulgou um cronograma de reformas.
As mudanças são uma resposta da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, organizadora do prêmio, às críticas pela falta de diversidade racial e de corrupção que pioram desde fevereiro, uma semana antes da cerimônia deste ano.
Uma investigação do jornal americano LA Times revelou que não há negros entre os cerca de 90 membros da associação, criada em 1943. Pior: desde 2013 que este assunto começou a fervilhar e a associação não se pronunciou.

“Nós não somos uma organização racista. Este é um país racista. Apontar o dedo somente para nós – e dizer que temos que ter pelo menos 13% de negros associados – é ridículo”, contou um membro que pediu para não ser identificado.

Pois é…

Empresas de publicidade/relações públicas (existem mais de 100 em Hollywood) foram apontadas pela Associação como responsáveis pela falta de diversidade.

Aí… Eles contra atacaram afirmando que a HFPA tem uma longa história de ignorar filmes e programas de TV criados por negros, faltando em exibições em cabines ou coletivas de imprensa, como nas recentes ‘Queen & Slim’ e da série antológica premiada como o Emmy ‘Olhos Que Condenam (Netflix)’.
Completam dizendo que eles pedem mudanças, porém, sempre foram ignorados.

‘Claramente a Associação de Imprensa Estrangeira tenta se esquivar do assunto e da sua responsabilidade’, contou Jackie Bazan, fundador e presidente da BazarPR e BazanED. ‘Não há justificativa sobre décadas de racismo estrutural, sexismo, apagamento de memória ou homofobia, que permeiam esta organização há muitos anos’.

Tem mais: o Los Angeles Times também trouxe à tona acusações de que comitês do prêmio fazem parte de um esquema de troca de favores, no qual eleitores aceitam dinheiro, viagens e presentes em troca de indicações no Globo de Ouro. Diretamente envolvidas, as empresas de publicidade/relações públicas não se pronunciaram.
Desde os anos 1960, este assunto é comentado nas coxias de Hollywood, mas o assunto nunca foi para frente.
Em comunicado oficial, a HFPA (sigla em inglês da associação) afirma que “implementar suas reformas é a maior prioridade da organização hoje, e que pretende fazê-lo “o mais rápido – e seriamente – possível”.
O cronograma teve início neste mês, com a aprovação do plano de reformas do conselho, que deverá ser concluído até final de agosto.

A proposta é revisar e aprovar um novo código de conduta para os membros da HFPA, firmado com as empresas de publicidade/relações públicas e dos estúdios de cinema, contratar um terceirizado para investigar as acusações de corrupção que têm surgido, contratar um diretor de diversidade, enfatizar o recrutamento de jornalistas negros e trazendo 20 novos membros à associação.
A HFPA também deseja expandir a composição de sua equipe em 50% nos próximos 18 meses.

Sua opinião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close