Crítica: ‘Ted Bundy – A Irresistível Face do Mal’

‘O Silêncio dos Inocentes’, ‘Dexter’ e ‘The Bates Motel’ são algumas das obras surgidas nos últimos 30 anos que colocou o personagem do ‘serial killer’ como protagonista. Sem contar aos milhares de episódios de outras séries e minisséries de ‘Crime Scene’, mostrando todo tipo de assassino. Ou seja, é um assunto esgotado.
Aí… Surge o filme Ted Bundy – A Irresistível Face do Mal, baseado no livro ‘Ted Bundy – Um Estranho ao Meu Lado’, de Elizabeth Kloepfer, que foi namorada do famoso serial killer americano.
Confesso que, nos primeiros minutos, fiquei incomodado com a opção da estória em focar no relacionamento entre Ted (o lindão Zac Efron, que mostra saber atuar) e Elizabeth (Lily Collins), com direito às cenas de família de classe média feliz. Porém, logo percebi que seria a opção do roteiro e direção para fugir do lugar comum de tudo o que se espera de uma obra baseada na vida de um notório criminoso morto na cadeira elétrica, que confessou 30 mortes de mulheres.

O filme é contado a partir do ponto de vista da namorada, mostrando sua perplexidade para entender como um homem tão bonito, charmoso e carinhoso pudesse ser responsável pelos crimes que foi acusado. Detalhe: assumindo que era inocente até às vésperas de sua execução.
O roteiro optou por um recorte bastante específico, saindo do lugar comum de centenas de séries sobre assassinos e tribunal que todo mundo está careca de ver, com fotos dos corpos mutilados, cabeças decepadas, etc. Lá pelo final que surge uma foto escabrosa e a única reprodução de um dos ataques.
Não acredito que isso invalide a importância de conhecer a estória e muito menos que o filme seja irresponsável por ‘glamourizar’ o julgamento, porque, simplesmente, ele foi um circo midiático, sendo transmitido pela TV, como nenhum outro até então. Isso contribuiu para aumentar o número de mulheres que acreditavam na sua inocência. Alegavam que ele era muito bonito, charmoso e envolvente para ser culpado por qualquer crime.
Ou seja… De serial killers à Presidentes de Repúblicas, as pessoas sempre serão enganadas por uma boa estampa.