Tudo sobre a Ópera ‘Carmen’ de Bizet

Baseada no conto homônimo de Proper Mérimée, a ópera Carmen conta a estória da sedutora cigana Carmen, que afasta Don José de sua noiva Micaela, dando início a uma confusa e trágica trama de amor.
O toureiro Escamillo é o quarto personagem nesse famoso quadrilátero de quatro atos composto pelo francês Georges Bizet, com libreto de Henri Meilhac e Ludovic Halévy. Estreou em 1875, no Opéra-Comique de Paris.
O primeiro ponto que chamou a atenção para a ópera foi a concepção da personagem Carmen por ser uma mulher de personalidade forte, libertária, livre e que não fazia jus ao papel reversado às mulheres daquele período. Além disso, ela também era uma cigana.
Carmen também aparece ao lado de outras mulheres que trabalham na fábrica, lutam e fumam – o que também foi considerado indecoroso para damas.
E finalmente, ela é punida com a morte no final. Porém, ao contrário do hábito até então, Carmen não morria como mártir (o que era comum nas óperas), mas sim assassinada por não poder ser quem ela é.
Entenda: óperas concebiam as personagens femininas como coadjuvantes para o brilho das masculinas. Em boa parte, tinham papeis submissos de donzelas indefesas que morriam por amor.
Carmen quebrou este paradigma tornando-se a protagonista e (quase) responsável por seu próprio destino e (quase) capaz de fazer suas próprias escolhas. Como um mantra, ela prega aos outros personagens: seja livre, tome suas próprias decisões.

Sucesso

O saldo foi um grande sucesso: após estrear em Viena (também em 1875), a ópera começou a ser muito elogiada – menos na França, que só a ‘descobriu’ em 1883.
Carmen chamou a atenção de grandes nomes da época, como Johannes Brahms, Richard Wagner e Friedrich Nietzsche. Brahms, por exemplo, considerou a ópera “a melhor ópera produzida na Europa desde a guerra Franco-Prussiana”.

Sendo uma das mais difíceis personagens da história da ópera clássica, Carmen foi feita para uma Mezzo-Soprano (ao contrário da famosa interpretação de Maria Callas, que era uma Soprano).

Atualmente, a cantora letã Elina Garanca é considerada sua melhor interprete – eternizada numa montagem feita para o Metropolitan Opera House em Nova York em 2010.
Três árias se tornaram clássicas: ‘L’amour est un oiseau rebele’ (também conhecida como Habanera, que, na realidade, é o nome da dança de Carmen), ‘Toureador’ e ‘Seguidilla’

Carmen em quatro atos

Ato I
O primeiro ato começa numa praça de Sevilha, onde se situa uma fábrica de tabaco e um quartel. O cabo Morales comenta com os soldados do corpo da guarda, os Dragões do Regimento de Alcalá, a passagem dos transeuntes pela praça. Então, entra em cena uma aldeã chamada Micaela, aproxima-se de Morales e pergunta timidamente pelo cabo Don José. Morales responde-lhe que este chegará com a rendição da guarda e convida-a a esperá-lo na companhia dos seus homens, mas Micaela decide retirar-se para regressar mais tarde. Ouvem-se nos bastidores os clarins que anunciam o render da guarda e aparecem em cena os soldados sob comando de Don José, seguidos por um grupo de crianças que os imita com admiração.
À sua chegada ao quartel, Morales comenta em tom jocoso a visita da aldeã. Zúniga, um tenente recém-chegado à cidade, interroga, em seguida, Don José sobre a beleza e a duvidosa reputação das cigarreiras da fábrica da praça, mas o cabo manifesta o seu único interesse por Micaela, por quem está apaixonado.
O sino da fábrica soa e anuncia o intervalo das cigarreiras, que entram em cena a fumar e a conversar animadamente com um grupo de homens que as espera. A última a aparecer é Carmen, uma bela cigana que seduz todos os homens que encontra à sua passagem. Seguidamente, Carmen canta uma habanera aos presentes, que manifestam a sua admiração por ela, à exceção do indiferente Don José, que é, precisamente, o objeto do seu desejo. Antes de regressar à fábrica, Carmen, em sinal de desafio, atira-lhe uma das suas flores.
Depois deste episódio aparece Micaela, que regressa ao posto da guarda e entrega a Don José uma carta da sua mãe, em que lhe pede que se case com a aldeã. Depois de se relembrarem juntos das paisagens da sua infância, Micaela abandona a cena e Don José começa a ler a carta.
Ocorre um tumulto no interior da fábrica; um grupo de trabalhadoras comenta entre gritos que rolou uma intriga entre as mulheres, no qual Carmen interveio, tendo ferido com uma navalha outra cigarreira no rosto.
Zuniga ordena a Don José e aos seus homens que prendam a agressora. O cabo sai da fábrica com Carmen e recebe a ordem do tenente de levá-la para a prisão. Carmen e Don José ficam sozinhos na praça. A sedutora cigana convence o cabo de que a liberte, promete-lhe o seu amor e assegura-lhe que o esperará na taberna de Lillas Pastia. Don José, alvoroçado, decide libertá-la. Nesse momento volta Zuniga com a ordem de prisão. Don José e Carmen iniciam a caminhada, mas perante os presentes a cigana finge empurrá-lo e foge.
Don José é preso imediatamente por permitir a sua fuga.

Ato II
Um mês depois, o segundo ato começa na taberna de Lillas Pastia, suposto ponto de encontro de contrabandistas. Já se passou um 1 mês. Carmen e as amigas, Frasquita e Mercedes, jantam com Zúñiga e outros oficiais, que rapidamente se juntam às cantigas e danças dos ciganos.
Apesar dos convites dos soldados, Carmen recusa os seus pretendentes. Ela espera a volta de Don José que depois de ter sido preso, recuperou a liberdade. A seguir, entre manifestações de júbilo, aparece em cena um famoso toureiro chamado Escamillo que, seduzido pela beleza da cigana, lhe declara o seu amor, abandonando depois a taberna com os oficiais. Em cena ficam Carmen, Mercedes e Frasquita sozinhas. Aparecem então os contrabandistas Dancaïre e Remendado, que propõem um negócio às três mulheres. Carmen recusa no início a proposta, mas por fim muda de opinião perante a possibilidade de que seu apaixonado deserte e participe na operação de contrabando. Finalmente, depois da saída dos contrabandistas, Don José chega a taberna e declara o seu amor a Carmen, que tenta convencê-lo de que se junte a eles e aceite o negócio. Don José, ofendido, nega-se, mas o aparecimento repentino de Zúñiga precipita os acontecimentos. O soldado e o tenente enfrentam-se pelo amor de Carmen. Don José, apoiado pelos contrabandistas, subleva-se ao seu superior, que fica sob custódia de outros ciganos. Obrigado pelas circunstâncias, o soldado vê-se finalmente forçado a desertar e parte com a cigana.

Ato III
Num desfiladeiro, os contrabandistas fazem os preparativos para a entrega dos produtos, sob a supervisão de Dancaire. É noite. Carmen cansada do ciumento amor de Don José e também descontente com a sua nova vida, tenta adivinhar nas cartas o seu futuro na companhia de Frasquita e Mercedes. As cartas revelam um mau presságio para Carmen: A morte.
À saída dos contrabandistas e das mulheres, Don José permanece no penhasco, a vigiar o esconderijo dos seus novos amigos. Da escuridão surge então Micaëla, que com a ajuda de um guia chega ao esconderijo de seu amado Don José com a esperança de convencê-lo a voltar a casa de sua mãe. Porém Don José dispara contra um intruso, que sai ileso.
É o toureiro Escamillo, que, desconhecendo a identidade do seu interlocutor, conta que está à procura de Carmen, que está cansada do seu amante, um soldado que desertou por ela. Don José, cego de ciúme, desafia o toureiro para uma luta até à morte com navalhas, que é interrompida graças à volta dos contrabandistas.
Depois de insultar o desertor e convidar os presentes para as corridas de touros de Sevilha, Escamillo abandona a cena.
A seguir, Dancaire descobre a presença de Micaëla ,que abandona o seu esconderijo e pede a Don José que a acompanhe porque sua mãe está a morrer. Ele aceita e sai com a aldeã, não sem prevenir Carmen, em tom ameaçador, de que voltará para vir buscar. A cigana não dá importância aos seus avisos, pensando no seu novo objeto de desejo.

Ato IV
Em Sevilha, frente à praça, uma multidão espera a chegada dos toureiros. Os vendedores aproveitam a ocasião para oferecer os seus produtos ao público. Aparece então a quadrilha e atrás dela, Escamillo e Carmen.
À entrada do toureiro na praça de touros, Mercedes e Frasquita avisam a cigana da presença de Don José, mas ela não demostra ter medo de se encontrar com o seu antigo amante.
A seguir, Don José retém Carmen quando tenta entrar na praça, suplicando-lhe que volte com ele. Ela responde que não sente mais nada por ele. Do interior da arena soam os aplausos à Escamillo.
O desertor tenta deter com violência a cigana, mas ela atira o anel que ele lhe tinha oferecido. Em fúria, Don José enfia uma faca na barriga de Carmen. A multidão que vai saindo da praça assiste à terrível cena. Don José, cheio de tristeza, cai de joelhos junto ao corpo de sua amada Carmen.

Sua opinião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.