Cinema e Moda – O trabalho da figurinista Eiko Ishioka

Eiko Ishioka e os figurinos de Espelho, Espelho Meu
Eiko Ishioka e os figurinos de Espelho, Espelho Meu
21 anos depois de ganhar o Oscar pelo excepcional trabalho em ‘Drácula de Bram Stoker’, a figurinista Eiko Ishioka está de volta.
Eiko concorre ao Oscar 2013 pelo trabalho no filme ‘Espelho, Espelho Meu’, protagonizado por Julia Roberts. Para os especialistas, não foi nenhuma surpresa, afinal, seu trabalho foi o grande destaque do filme, que foi um dos fracassos da bilheteria do ano passado (custou U$ 85 milhões, rendeu U$ 64.935 milhões, ou seja, nem se pagou).
Eiko morreu em janeiro de 2012, aos 73 anos, deixando um impressionante legado como figurinista de filmes, videoclipes e espetáculos, como Cirque de Soleil. Seu trabalho influenciou diversos estilistas, como Alexander McQueen, Viktor and Rolf e o brasileiro Lino Villaventura.
Além do Oscar, ela ganhou um Grammy e dois Tonys (prêmio do teatro americano). Suas criações participaram de exposições em museus, nos palcos da Broadway, óperas e nos jogos olímpicos de Beijing em 2008.
1897 Dracula de Bram Stoker (1992 - Eiko Ishioka) (15)
Drácula de Bram Stoker – O vestido de noiva da vampira Lucy se tornou uma peça icônica, que inspirou dezenas de estilistas de vanguarda.
2000 A Cela (Figurinos de Eiko Ishioka)
A Cela – Estrelado por Jennifer Lopez, o filme era descrito como um thriller psicológico, mas era uma confusão sem tamanho. A direção do estreando Tarsem Singh errou a mão. O que se salvou foi o magnífico figurino assinado por Eiko, incluindo uma releitura fashion do S&M – principal tema da estória.
2002 Varekai (Figurinos Eiko Ishioka)3
Varekai – O espetáculo do Cirque Du Soleil de 2002 se passa numa floresta, no cume de um vulcão, onde existe um mundo extraordinário, o qual, tudo é possível. Este mundo se chamava Varekai. Na linguagem cigana, este nome significa ‘onde quer que seja’, assim, a produção prestou uma homenagem à alma nômade e a arte da tradição circense. Eiko produziu 130 figurinos, com cerca de 600 elementos e produzidos em aproximadamente 250 horas antes da estreia do espetáculo.
2006 The Fall (Figurinos Eiko Ishioka)
Dublê de Anjo (The Fall, no original) – Dirigido por Tarsem Singh, conta a estória de uma garota hospitalizada que faz amizade com outro paciente, um dublê de cinema. Para entretê-la, ele conta a estória de cinco heróis que se aliam para derrubar um governador tirana, na Índia. Eles viajam para lugares exóticos. Os figurinos de Eiko novamente se destacam num filme pouco visto, apesar de ganhar prêmio no Festival cinema fantástico de Sitges, na Espanha.
2007 Teresa, o Corpo de Cristo (Figurinos Eiko Ishioka)
Teresa, o Corpo de Cristo – Produção espanhola de 2007, baseada na estória de Santa Teresa da Espanha, uma mulher que não se contentava em ser apenas mãe e esposa. Esta vontade de algo mais a leva para um convento de clausura, mas logo se decepciona, ao descobrir que o materialismo e a frivolidade reinam no local. Assim, ela decide iniciar uma cruzada baseada na oração e no sacrifício, pelo qual será considerada rebelde e louca.
Cocoon – Em 2002, Eiko dirigiu o impressionante clipe de Bjork.
2009 Grace Jones - Hurricane Tour (Figurinos Eiko Ishioka)5
Grace Jones convidou Eiko para assinar seus figurinos, usados na turnê Hurricane, em 2009. Este trabalho exemplifica a preferência de Eiko pelo vermelho e pelas opulentas cabeças.
2011 Imortais (Figurinos Eiko Ishioka)5
Imortais é uma produção americana que fala de deuses gregos. O Rei Hipérion declara guerra contra o mundo grego. Para reforçar seu exército, ele tentará libertar os Titãs, aprisionados no Monte Tártaro por Zeus. Para detê-lo, Zeus escolheu Teseu, que contará com a ajuda de uma sacerdotisa para comandar um exército na batalha épica. Infelizmente, o filme também foi um fracasso de bilheteria.
2012 Espelho Espelho Meu (Eiko Ishioka) (14)
E finalmente, Espelho, Espelho Meu, produção da Disney, que conta a estória da Branca de Neve e sua Madrasta num clima de comédia. Apesar do esforço de Julia Roberts em ser engraçada, não funcionou. Com ritmo lento, o filme não acontece. Mas desde as primeiras cenas, percebe-se o magistral trabalho de Eiko Ishioka nos figurinos, em especial aos vestidos usados pela vilã e pela mocinha. Foi o ‘canto do cisne’ da carreira desta excelente profissional, que transformou a roupa usada nos personagens de cinema em verdadeiras obras de arte da história da moda.
(Fonte: The New York Times, The Fashionist, Interfilmes, Adoro Cinema, IMDB)

4 comentários

Os comentários estão fechados.