O Surrealismo na Decoração

Meu querido editor sugeriu-me uma pauta instigante: o surrealismo na decoração
O que muitos a princípio podem pensar quando se diz “ambientes surreais” (ou mesmo objetos de decoração), seriam ambientes cinematográficos, de tirar o fôlego. Não estariam tão equivocados, afinal seriam ambientes dos sonhos, porém o Surrealismo não é nada racional.
Surgido em Paris nos anos 20 (século XX), foi um movimento artístico e literário, uma das vanguardas, entre tantas, que fervilharam e deram encaminhamento ao Modernismo.
Têm Max Ernst e Salvador Dalí como seus representantes mais conhecidos com obras que buscaram expressar o subconsciente dos artistas, afastando-se do pensamento racional.
Sendo a criatividade e a linguagem de projeto influenciadas por diversas referências, encontrou-se algumas soluções que trazem as principais características do Surrealismo: a criação de composições que vão além da organização formal conhecida e uma exploração e re-significação dos objetos que resultam em expressões do mundo onírico e inconsciente.
Mae West Lips Sofa – Salvador Dalí (1937)
A peça surgiu no quadro de Dalí “Face of Mae West” (1934), atriz e sex-symbol da época. Edward James, um dos patronos do movimento encomendou a peça.
Octopus Chandelier – Adam Wallacavage (2006)
Americano, artista do pop-surrealismo, é escultor e fotógrafo e trouxe uma série de lustres inspirados em animais marinhos, especialmente o polvo.
Vaso Três Alças – Estúdio Manus (São Paulo)
Sob o comando de Daniela Scorza e Caio de Medeiros, produzem peças conceituais buscando “um caminho poético e não convencional”, como definem. Esta peça vai além do funcional com a repetição das alças desalinhadas que dão uma nova interpretação ao objeto.
Ghost Of A Chair – Valentina Gonzalez Wohlers (2009)
Segundo a designer, uma reinterpretação da imaterialidade. Um lençol caindo sobre as curvas de uma cadeira Luís XV, em um movimento estático.
Além de objetos, podemos incluir nesta listagem alguns espaços onde essa atmosfera de sonhos e composições inusitadas fica mais evidenciada. Trouxe alguns hotéis boutiques que estão explorando esse conceito.
O Morgan’s Hotel Group mantém uma parceria com o designer francês Phillipe Starck, responsável pelo remodelagem de alguns dos hotéis da rede, entre eles o Hudson Hotel (NYC) e o Sanderson (Londres). Nas fotos abaixo, o projeto de interiores do Bar, respectivamente.
E para finalizart, um ponto de tangência entre Moda e Decoração: A Maison Moschino em Milão, Itália.  Um edifício de 1840 totalmente remodelado pela designer Rossella Jardini, com a proposta de um mundo de sonhos.
Cada quarto tem um tema e a decoração faz a tradução literal.
(Texto colaborativo de Ana Paula Barros – especial para MONDO MODA)

Este slideshow necessita de JavaScript.