Nomes da Moda: Gareth Pugh

Gareth Pugh - Inverno 2008
Gareth Pugh – Inverno 2008
Se existisse, de fato, uma fábrica de sucessos, ela seria a Central Saint Martins. Dá para perder as contas – e o fôlego – de quantos criadores impecavelmente brilhantes saíram de lá, e, obviamente, com o britânico Gareth Pugh não seria diferente.
Gareth nasceu na Inglaterra, em 1981 e, assim como a maioria de seus conterrâneos do universo dos criadores, já trabalhava com moda desde menino. Além de ser formado na “fábrica de sucessos”, ele estudou moda, fotografia, artes e psicologia – o que é um diferencial importantíssimo no mercado atual, além de agregar conhecimento e confiança no trabalho exercido.
Gareth Pugh (2)
Gareth desde o começo criou coleções diferenciadas, originais e atípicas, inspiradas em ficção científica e nos movimentos punk e gótico. Foi através dessa vanguarda que faz parte da genética britânica que ele conseguiu chamar a atenção da revista Dazed & Confused e garantiu sua primeira capa.
Em 2005, teve sua primeira coleção off no London Fashion Week, em 2007 ganhou o prêmio da Elle de “Jovem criador do ano” e em 2008 foi parar nas passarelas parisienses. Além do trabalho maravilhoso no prêt-à-porter, o estilista também criou uma linha de maquiagem e trabalhou em outras áreas, como uma coleção de óculos de sol e decoração para Moët & Chandon em 2008.
Gareth Pugh Verão 2010
Gareth Pugh Verão 2010
Seus desfiles são considerados espetáculos, não é a toa que o inglês já foi comparado com, nada mais nada menos, que  Vivienne Westwood e John Galliano.
É maravilhoso observar que a autenticidade e criatividade levam uma pessoa a qualquer lugar. É dar asas à imaginação e se permitir voar para onde quiser. Quanto à aceitação? Quem precisa dela? Ninguém é obrigado a aceitar ou entender, apenas a respeitar – e isso não é uma questão de cultura e nacionalidade, e sim de simplesmente ser humano.
(Artigo colaborativo de Bruna Said Miguel)

2 comentários

Os comentários estão fechados.