Nomes da moda: John Galliano

John Galliano @ Foto Divulgação
John Galliano @ Foto Divulgação
Juan Carlos Antonio Galliano Guillén, também conhecido como John Galliano, gênio da moda ou antissemita, como preferir, é mais um da lista britânica de criadores brilhantes. Se nada é por acaso, Galliano nasceu com um propósito: encher o mundo de magistralidade – e alguns escândalos, pra fugir da monotonia.
Nascido em Gibraltar em 1960, John teve – e ainda tem – uma vida extremista e intensa. Ainda pequeno, viveu com sua família em um bairro simples e pobre, porém muito caloroso. O pai era bombeiro e a mãe, com seu sangue latino, foi responsável pelo interesse do filho pelo barroco.
O menino prodígio se dedicou bastante, leu e pesquisou muito, já sabendo que moda seria seu futuro. Ao chegar à fase adulta, conseguiu se formar na melhor faculdade da área, a fábrica de talentos Central Saint Martins College of Art and Design. Foi a partir daí que surgiu o primeiro alto de sua vida e o início da carreira promissora.
Galliano - coleção de conclusão de curso @ Foto Divulgação
Galliano – coleção de conclusão de curso @ Foto Divulgação
Em seu desfile de conclusão de curso, inspirado em sua experiência como figurinista no National Theatre, John criou “Les Incroyables”, o que foi considerado uma máquina do tempo que havia acabado de chegar do futuro. A união de seu talento nato, experiência e sede de conhecimento, o recém-formado estilista teve os oito looks expostos em uma loja de Londres. E todos foram vendidos! Para completar, sua primeira cliente foi Diana Ross, o que o tornou, obviamente, famoso.
Galliano - Afghanistan Repudiates Western Ideals” - Primavera Verão 1985
Galliano – Afghanistan Repudiates Western Ideals” – Primavera Verão 1985 @ Foto Divulgação
Sua primeira coleção “de verdade”, foi “Afeganistão repudia o ideal ocidental”, para a Primavera/Verão de 1995, apresentado na Semana de Moda de Londres. Um sucesso que resultou na parceria com a estilista Armanda Harlech. Mesmo com o sucesso mundial e o prêmio de melhor criador britânico em 1987, John não obteve retorno financeiro e seus financiadores o abandonaram. Primeira baixa de sua carreira.
A dupla partiu para Paris, onde foi muito bem recebida. Em seguida, caiu nas graças da chefona da Vogue  Anna Wintour. Em 1995, conquista o cargo de diretor artístico da Givenchy e, um ano depois, troca pela Christian Dior. De brinde, sua primeira criação com esse título foi para ninguém menos que Lady Di.
Galliano - Primeira coleção como diretor da Givenchy @ Foto Divulgação
Galliano – Primeira coleção como diretor da Givenchy @ Foto Divulgação
Com o passar dos anos, Galliano foi agregando atribuições ao cargo e conquistando outras responsabilidades, como cuidar da imagem e divulgação da Dior. Além disso, passou a recusar encomendas e a selecionar quem era “capaz” de usar suas criações.
Galliano - Vestido para Lady Diana
Galliano – Vestido para Lady Diana @ Foto Divulgação
“Eu não amo bonecas. Eu amo mulheres. Amo seus corpos.”
Já com sua própria boutique, John criou a coleção “Everybody is Beautiful”, que lhe causou duras críticas por apresentar pessoas de todos os tipos e estaturas físicas. O mundo é contra o padrão de beleza estipulado pela mídia, mas, infelizmente, não sabe lidar com um choque de realidade.
Galliano - Everybody is Beautiful @ Foto Divulgação
Galliano – Coleção Everybody is Beautiful @ Foto Divulgação
Em 2010 e 2011, Galliano se envolveu com drogas e álcool, e acabou insultando algumas pessoas em Paris, com discursos preconceituosos e antissemitas. Mesmo sendo suspenso da Dior e atingindo o ponto mais baixo de sua carreira, o estilista agradeceu pelo episódio, pois, foi por causa disso que ele percebeu o rumo que estava dando a sua vida se continuasse se intoxicando.
“A minha vida inteira eu lutei contra o preconceito, a intolerância e a discriminação, tendo eu mesmo sido submetido a isso.”
Galliano - Coleção para a Christian Dior @ Foto Divulgação
Galliano – Coleção para a Christian Dior @ Foto Divulgação
De qualquer forma, apesar dos pesares, o Galliano sóbrio continua sendo um profissional genial e, seguindo o raciocínio de sua vida tumultuada, é melhor o mundo se preparar, pois, assim como a fênix, ele tem o dom de ressurgir das próprias cinzas e, com certeza, ainda há muito combustível pra reacender sua carreira gloriosa.
(Artigo colaborativo de Bruna Said Miguel | Fotos: Divulgação)