Sobre Cate Blanchett em ‘Blue Jasmine’

Blue_JasmineO papel de Cate Blanchett, no filme Blue Jasmine, rendeu o Globo de Ouro 2014, no último domingo, assim como 17 outros prêmios da crítica americana. No próximo sábado, é muito provável que seu nome seja ouvido quando for revelado o nome da melhor atriz em filme no SAG Award 2014, prêmio do Sindicato dos Atores de Hollywood.

É compreensível. Jasmine é o melhor papel feminino de Hollywood em 2013. Rico de nuances e matizes, é a versão moderna da desesperada e romântica Blanche Dubois, mítica personagem de ‘Um Bonde Chamado Desejo’.

Blue Jasmine1Na versão atual, Jasmine é uma ex-socialite novaiorquina, que é obrigada a abandonar o luxuoso estilo de vida em Park Avenue, para se enfiar no subúrbio de São Francisco, na casa da irmã. Motivo: o dinheiro do bem-sucedido marido era resultado de diversos negócios escusos. Na cadeia, ele cometeu suicídio.

O choque de realidades, do antigo estilo de vida em Nova York ao universo da classe média trabalhadora da irmã, com direito a dois filhos, um ex-marido (que também foi enganado pelo escroque de Nova York) e um novo namorado bronco, se torna um desafio para Jasmine.

Blue JasmineQuando questionada sobre o que pretende fazer, pensa que Designer de Interiores é uma ótima opção, afinal, era o universo que transitou durante anos, entre Hamptons e metade da parte chic da Europa. Contudo, aceita trabalhar como recepcionista para um dentista, enquanto faz um curso de informática.

Sua vida parece dar uma guinada quando conhece um bem-sucedido ‘quase’ embaixador. Contudo, envergonhada com seu recente passado, conta diversas mentiras, que, certamente, não é o melhor caminho para ‘seguir em frente’.

Woody Allen capricha na elaboração entre os choques de realidades da vida de Jasmine. Mesmo com grande simpatia pela personagem, ela incomoda quando parece não aceitar sua realidade atual (ótimo trabalho de figurinos de Suzy Benzinger, com apoio de Karl Lagerfeld para Chanel). Ele também acerta na revelação final, quando se explica como o marido de Jasmine foi pego.

Blue Jasmine2A cena final, em aberto, é uma das mais tristes que tenho lembrança de assistir nos últimos tempos.

Cinema é um jogo. Elabora-se uma estória, que será encenada de acordo com o desejo de quem dirige. Acerta quem souber conduzir com talento e originalidade. O mesmo acontece com a construção de um personagem. E a Jasmine é tão rico e poderoso (no sentido de elaboração cênica), que, dificilmente imaginamos outra atriz no papel. Ele foi feito para Cate Blanchett.

Já falei que é este é o personagem feminino de 2013, certo?

Plus: outro ponto de destaque no filme é canção ‘A Good Man Is Hard to Find’, na voz eletrizante de Lizzie Miler, composta em 1927 por Eddie Green.

(Artigo: Jorge Marcelo Oliveira | Foto: Getty Images | APP)