Bizarrices da moda feminina através da história

Lady Gaga Armadillo ShoesMuitas pessoas enxergam a moda como peças de roupas que vão e vem com o passar da estação, mas não param para analisar o contexto.

Ao estudarmos a história da indumentária, percebemos que tudo está diretamente ligado ao período histórico e ao estilo de vida da época. Em breve resumo, durante a maior parte do tempo, as roupas foram – e ainda são – utilizadas como diferenciador social, o que fez os criadores cometerem loucuras e bizarrices para se destacarem.

No século XVIII, no período do Rococó, usava-se o panier, literalmente  traduzido como “cesto”, que nada mais era do que uma armação estruturada e retrátil que dava forma ao vestido. Era utilizada embaixo da saia. Na corte, ele era usado de maneira excessiva e, com o passar do tempo, passou a ser dividido em dois, um de cada lado do quadril, o que fazia as damas ocupassem três vezes mais espaço em peças de teatro, por exemplo. É uma peça esteticamente feia, se analisada hoje, provavelmente desconfortável e nada funcional, porém cumpria seu papel de diferenciador na época. Foi usada por 50 anos. Foi abolida no período do Naturalismo, em 1770, pois era considerado antinatural.panier 1740-1745-mantua de seda creme  victoria and albert museum - londres

No século seguinte, em 1850, surgiu um movimento chamado Bloomerismo. Como a moda feminina estava cada vez mais elaborada e desconfortável, surgiram alguns grupos de reforma do vestuário, que consistiam em acabar com os exageros da silhueta e com a diferenciação social através das roupas. Isso ocorreu porque nesse período as mulheres passaram a estudar e, assim, acabaram vendo o mundo com outros olhos e começaram a questiona-lo.  O look bloomer consistia em uma espécie de vestido até os joelhos sobre um par de calças bufantes presas no tornozelo por um babado de renda.Bloomers

Desde o período medieval até o século XX usava-se o patten, que era uma espécie de sola de madeira que protegia o sapato da lama e sujeira. Sua altura variava de acordo com a hierarquia social, quanto mais alto, maior o poder – algumas ultrapassavam 50 cm.Patten

Muitos anos depois, em 1950, no período das pinups curvilíneas, algumas mulheres usavam um sutiã inflável para criar volume. É bizarro, mas faria sucesso hoje em dia.Sutiã Inflável

No século XXI, a moda é muito mais efêmera. Antes, peças marcavam muito o contexto histórico – e vice versa – e podiam durar décadas, ou séculos. Hoje, com a liberdade de expressão, criação e fácil acesso a informações e tutoriais, tudo muda muito rápido e não há uma regra, apenas modismos de curto período.

Em 2010, o falecido Alexander McQueen criou o Armadillo para a cantora Lady Gaga. O nome é traduzido como tatu-bola, pois a forma do sapato lembra a silhueta do bicho. A partir desse, a marca liberou sua mente para criar outros calçados extremamente estranhos e bizarros, porém de uma criatividade e sofisticação incríveis.Armadillo by Alexander McQueen

Portanto, é possível perceber que não cabe a nós olhar para trás com julgamentos contemporâneos e sim com o conhecimento de que cada pedacinho da história da indumentária, bizarro ou não, foi importante de alguma maneira e permitiu que chegássemos na moda que temos hoje.

(Artigo de Bruna Said Miguel, do blog Chá das Cinco)

Um comentário

Os comentários estão fechados.