Sobre Betty Lago, anos 90, patrulhas ideológicas…

Coluna assinada pelo publisher Jorge Marcelo Oliveira
Jorge Marcelo Oliveira - Perfil - Agosto 2014
Jorge Marcelo Oliveira – Agosto 2014 @ divulgação

Não me lembro da morte de outra figura da moda brasileira que tenha causado tanta comoção quanto de Betty Lago.

Junto com Dalma Callado, Betty foi uma das primeiras modelos brasileiras a fazer carreira internacional, desfilando nas principais Semanas de Moda de Paris, Milão e Nova York. Depois fez curso de interpretação, estreou na TV Globo a minissérie ‘Anos Rebeldes’, no papel de Natália, e em 1995 estreou como apresentadora no GNT – primeiro programa da TV sobre moda da TV brasileira. No começo, eu me lembro, ela era mais séria, mas aos poucos, ela se soltou a ponto de transformar o programa na melhor atração da TV fechada, independente de gostar de moda ou não. Ela ficou por cinco anos, sendo substituída pela jornalista Lilian Pacce – a titular do programa desde então. Um bom tempo depois, Betty Lago ficou cinco anos no Saia Justa, rapidamente se tornando a melhor atração do programa com seu astral, sinceridade e loucura contagiante. E assim Betty conquistou uma legião de novos fãs. Ela ainda faria o ‘Pirei com Betty Lago’ (2011 a 2013), no qual ela mostrava seu lado divertido, inteligente e irreverente nas temáticas mais comuns, como Festa Infantil, Cachorros, o vermelho, entre outros. Detalhe: em fevereiro de 2012, ela foi diagnosticada com o câncer na vesícula que a mataria na manhã de 13 de setembro de 2015. Doença fatal e sem cura, ela não se deixou abater. Continuou a gravar o programa no GNT, assim como a novela ‘Vidas em Jogo’, na Record. Ela ainda faria a novela ‘Pecado Mortal’, também na Record e estreou o programa ‘Calma, Betty!’ no canal do You Tube. Em agosto passado, ela voltou ao GNT com o reality ‘Desafio da Beleza’, que está no meio da temporada.
Betty Lago - Editorial Vogue @ Lucy Cunninghan
Betty Lago – Editorial Vogue @ Lucy Cunninghan
Foi uma mulher muito, mas muito especial. Até seu último minuto em cena, manteve a dignidade, a inteligência e o humor que marcaram sua carreira na televisão brasileira. Pena que somente assinantes das TV fechadas tiveram o privilégio de entender isto, pois, na TV aberta, suas participações se resumiam apenas nos programas de ficção, como novela ou minisséries.
Todos os programas que participou no GNT a homenagearam – até o Papo de Segunda, que ela não pisou, também se lembrou de sua importância. Claro, o GNT Fashion fez um especial mostrando cenas dos cinco anos que ela apresentou. Em 22 minutos, são relembrados um tempo de moda que, hoje, é ‘coisa do passado’.
Gianni Versace, Ocimar Versolato, Jorge e Aninha Kaufmann, Kate Moss, um passeio pelos corredores do Barra Shopping mostrando os preços de algumas peças da Andrea Saletto, os primeiros anos de Gisele Bundchen no mercado internacional (falando que, aos 28 anos, queria morar no Brasil e cursar Psicologia…), bastidores da filmagem de ‘Tieta’, com a Sônia Braga, o estilista Turco Loco (apelido usado por Alberto Hiar, dono da Cavalera), João Gordo, enfim… Nomes que marcaram a década de 90.
Betty Lago @ divulgação
Betty Lago @ divulgação
20 anos depois… Mortes, falências, aposentadorias, escândalos por causa de drogas, Gisele como a maior top model da história, a revolução digital, a internet, as redes sociais, os Smart-phones, as blogueiras, jornalismo X publicidade… Ufa! Muita coisa aconteceu.
Betty fará falta. O mundo atual está muito chato. Tudo é politicamente incorreto. As pessoas fazem militância pelas redes sociais. Não existe embasamento de pensamento em nada. Pouca gente lê um livro e sabe discutir qualquer assunto com coerência. Não se respeita qualquer opinião contrária. A caretice dominou e todos os argumentos políticos parecem datados.
Ainda não dá para afirmar, mas sinto que a morte de Betty é como fechar um ciclo. Vamos aguardar.