As joias de Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor sempre foi uma mulher muito inteligente. Ela se casou oito vezes. Sim. Casou de papel passado, como se dizia antigamente. Duas com o mesmo marido, Richard Burton, que foi seu grande amor.

Quando foi convidada para estrelar “Cleopatra”, na brincadeira, ela respondeu: “Só se eu ganhar U$ 1 milhão!”. Os produtores pagaram. Mesmo assim, o filme foi um fracasso de bilheteria. Dizem que o excesso de paixão entre Elizabeth (ela detesta o apelido ‘Liz’) e Richard foi a causa do flop.

Mas não foi apenas isto que a tornou uma mulher muito astuta. Foi sua paixão por joias! Sua primeira veio na infância quando ganhou um broche de sua mãe. Seus maridos sabiam que não precisava de uma data especial para presenteá-la com as mais incríveis joias, de tamanhos (e gostos) variados.

Sua famosa coleção contava com colar de rubis (presente de Mike Todd), Tiara de Diamantes (também vinda de Mike Todd), Anel de Brilhante Krupp (presente de Richard Burton), Taj Mahal da Cartier (também de Richard Burton), Peachy Pearl (69,42 quilates, custou mais de meio milhão de dólares).

Elizabeth Taylor em cena do filme The V.I.P.s (1963) @ Reprodução

Leilão
Quatro meses depois de sua morte em 2011, a coleção de joias (80 itens) arrecadaram 116 milhões de dólares em leilão, mais de o dobro do recorde para uma única coleção e estabelecendo um novo patamar para as pérolas, os diamantes incolores e as joias indianas.
A estimativa era que a venda da coleção realizada pela casa de leilões Christie’s arrecadasse cerca de 20 milhões de dólares, mas todos os artigos, desde o famoso anel de diamantes de 33 quilates, um presente de Richard Burton, até suas pulseiras de berloques foram vendidos por valores muitas vezes maiores que o previsto.
Já na metade do evento, que durou quatro horas, as joias de Liz quebraram o recorde para uma coleção de um único dono, estabelecido em 1987 pela duquesa de Windsor, cuja coleção foi vendida por pouco mais de 50 milhões de dólares.
Uma das peças mais históricas, uma pérola do século 16 de 203 grãos (equivalente a 55 quilates) no formato de uma pêra, foi vendida por 11.842.500 dólares, incluindo o valor da comissão. A joia, que pertenceu a Maria I da Inglaterra e depois às rainhas espanholas Margarita e Isabel, estabeleceu um valor recorde em leilão para uma pérola.