O origem da Árvore de Natal

Civilizações antigas do terceiro milênio antes de Cristo consideravam as árvores como um símbolo divino. Eles cultivavam e realizavam festivais em seu favor, poiss as consideravam entidades mitológicas e sua projeção vertical, desde as raízes fincadas no solo, marcava a aliança entre o céu e a terra.
Nas vésperas do solstício de inverno, os povos pagãos dos países bálticos cortavam pinheiros, levavam para seus lares e os enfeitavam. Essa tradição passou aos povos Germânicos, que colocavam presentes para as crianças sob o carvalho sagrado de Odin.
No início do século VIII, o monge beneditino São Bonifácio tentou acabar com essa crença pagã que havia na Turíngia, para onde fora como missionário. Com um machado cortou um pinheiro sagrado, que os moradores adoravam no alto de um monte. Não deu muito certo. Oportunista, decidiu associar o formato triangular do pinheiro à Santíssima Trindade e suas folhas resistentes e perenes à eternidade de Jesus. Nascia aí a Árvore de Natal.

Árvore de Natal @ Divulgação

A primeira árvore de Natal foi decorada em Riga, na Letónia, em 1510. Acredita-se também que esta tradição tenha começado em 1530, na Alemanha, com Martinho Lutero.
Certa noite, enquanto caminhava pela floresta, Lutero ficou impressionado com a beleza dos pinheiros cobertos de neve. As estrelas do céu ajudaram a compor a imagem que Lutero reproduziu com galhos de árvore em sua casa. Além das estrelas, algodão e outros enfeites, como velas acesas para mostrar aos seus familiares a cena que havia presenciado na floresta.
A árvore de natal se popularizou em meados do século 19, como afirma a colecionadora Alix Paulsen:

“Foi durante a guerra franco-prussiana em 1870, 1871, quando o imperador mandou colocar pequenas árvores enfeitadas com luzes em hospitais e postos de controle. Os soldados que sobreviveram à guerra levaram a árvore para casa e desde então, ela se tornou parte da decoração de todas as casas.”Durante o século XIX a prática foi levada para outros países europeus e para os Estados Unidos. Apenas no século XX essa tradição chegou à América Latina.