‘Them’ tem chances de ser a melhor série de 2021

‘Jim Crow Laws’ foram leis estaduais e municipais que impunham a segregação racial no sul dos Estados Unidos. Foram aplicadas entre 1877 e 1964, determinando instalações separadas para brancos e negros em todos os lugares públicos nos antigos Estados Confederados da América (Carolina do Sul, Alabama, Mississippi, Geórgia, Flórida, Texas e Louisiana) e outros.
Com a doutrina do ‘Separados, mas iguais’, os negros foram separados no transporte, escola, bares, restaurantes, bebedouros, banheiros, etc.

Para sair da sufocante Carolina do Norte, a família Emory se muda para o bairro de East Compton, subúrbio de Los Angeles, como parte da chamada grande migração de 1950.
O que o casal Henry (Ashley Thomas) e Lucky (Deborah Ayorinde) e as filhas Ruby Lee (Shahadi Wright Joseph) e Gracie Mae (Melody Hurd) não imaginavam eram encontrar implacáveis racistas, liderados pela loira Betty Wendell (Allison Pill). Se isso fosse pouco, a família ainda é assombrada por memórias de uma tragédia que aconteceu na antiga casa.
No primeiro dia, enquanto Henry enfrenta o fato de ser o único engenheiro negro numa empresa que até então, tinha apenas outro da mesma raça na função como de ‘entregador de correspondência’, sua mulher, Lucky precisa lidar com as alucinações da filha pequena que conversa com uma figura alta e com chapéu, saída de seu livro preferido.
No mundo dos vivos, a vizinha loira Betty Wendell lidera as mulheres da rua para expulsar a família negra para sair do bairro. O primeiro ato é se sentarem em frente a casa da nova família ouvindo o rádio no volume máximo.
Nos 10 dias seguintes, as coisas vão piorando. A filha mais velha, Ruby Lee, é agredida verbalmente em sala de aula pelos colegas. Encontra apoio num misteriosa garota (Shophie Guest)… Enquanto isso, seu pai tem visões da época que era soldado, ao mesmo tempo que encontra um sapateador com o rosto pintado de preto (blackface… pesquisa no Google).

Them/Outros, no título nacional é uma série limitada criada por Little Marvin e com produção executiva da atriz e roteirista Lena White, que estreou na sexta-feira, 09 de abril na Amazon Prime. É uma antologia. Cada temporada contará uma história diferente.
Ela foca no racismo de uma forma impressionante. É uma sucessão de maldades que enterra o conceito dos EUA como Terra dos Sonhos e da Liberdade orquestrado por Hollywood pós-Segunda Guerra Mundial. Era um país racista (como sabemos que ainda é), que privilegiou apenas os brancos.
Mas ‘Them’ não é uma série panfletária. Ela amplia a discussão sobre o que realmente se escondia por trás daqueles coloridos papéis de parede que decoravam as casas nos condomínios idealizadas pela suposta amigável classe média da década de 1950.

Allison Pill e Melody Hurd em Them @ Amazon Prime

Os dez empolgantes episódios são feitos para tirar a respiração. Em diversos momentos, minha reação foi de estupefação. Veja bem: sou treinado nos mais aterrorizantes filmes de horror que muita gente nem assistiu e confesso que, em ‘Them, a coisa caminha por trilhas que realmente não imaginava.

Pensa numa estória que assusta em diversos níveis de emoção (na realidade e no sobrenatural).
Além da maestria na concepção do roteiro e direção, ‘Them’ conta com um ótimo elenco (Deborah Ayorinde, Ashley Thomas e Allison Pill garantem o show). A exceção é o ex-gostoso Ryan Kwanten, o irmão da Sookie de ‘True Blood’. Além de perder a sensualidade, não aprendeu a atuar e continua um canastrão.
Ao lado da nacional ‘Cidade Invisível’, ‘Them’ é a melhor série de 2021 – até o momento.