Morre a atriz Marília Pêra

Marilia Pera @ divulgaçãoA atriz, cantora e diretora Marília Pêra morreu neste sábado (5), no Rio aos 72 anos. Ela lutava contra um câncer de pulmão há dois anos.
Premiada como Melhor Atriz pelo National Society e pelo Boston of Film Critics Awards pela atuação em ‘Pixote: A Lei do Mais Franco’’, em 1982, Marília era uma das artistas mais completas, além de interpretar, era cantora, bailarina, diretora, produtora e coreógrafa. Trabalhou em mais de 50 peças, quase 30 filmes e cerca de 40 novelas, minisséries e programas de televisão. Um dos últimos trabalhos da atriz foi sua participação, como Darlene, na série “Pé na Cova’, da TV Globo.
Filha de atores, Marília Soares Pêra, que mudou o nome para Marília Pêra da Graça Mello, depois que se casou, nasceu em 22 de janeiro de 1943, no bairro do Rio Comprido, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Ela contava que foi levada aos palcos ainda criança, pelos pais.
Dos 14 aos 21 anos, atuou como bailarina em musicais e revistas como Minha Querida Lady (1962), protagonizado por Bibi Ferreira, e O Teu Cabelo Não Nega (1963), biografia de Lamartine Babo, como Carmen Miranda . Nessa época, trabalhou também em programas como Espetáculos Tonelux, Grande Teatro Tupi, Grande Teatro da Imperatriz das Sedas, Teatrinho Troll e Câmera Um.
Em 1959, quando ainda estava no primeiro ano científico, largou os estudos para se casar com o ator Paulo Graça Mello. Depois, estreou peças e musicais e excursionou por Portugal.  Já separada do marido, foi contratada pelo diretor Abdon Torres, em 1965, para fazer parte do elenco que iria inaugurar a TV Globo.
Grande atriz de teatro musical, em 1992, interpretou uma série de cantoras em “Elas Por Ela”, que tive a honra de assistir no Teatro Jardel Filho, em São Paulo. Foi um divisor de águas que, certamente, já entrou para a história como uma atuação impar de uma atriz única. Ainda interpretou Carmen Miranda, Dalva de Oliveira, Maria Callas, Coco Chanel, entre outros icônes.
No cinema, inesquecível sua atuação como a prostituta Suely, em ‘Pixote: A Lei do Mais forte’. Foi seu auge nas telonas. Depois, também esteve incrível em ‘Dias Melhores Virão’ e ‘Tieta do Agreste’.
Na televisão, ela arrasava como Darlene, em ‘Pé Na Cova’. Outros grandes momentos foi como Juliana na minissérie ‘O Primo Basílio’, em 1988, Alice na minissérie ‘Quem Ama Não Mata’, em 1982 e a divertidíssima Rafaela Alvarey, na novela ‘Brega & Chic’, em 1987, fazendo uma excelente dobradinha com Marco Nanini.
É um momento muito triste.
(Texto de Jorge Marcelo Oliveira – Fonte G1 e Wikipédia)

2 comentários

  1. Republicou isso em Tempestadee comentado:
    Uma bonita homenagem, aqui. Eu assisti uma apresentação da Marília Pêra, no Elas por Ela, no SESC Santos, com meu pai. Muito bom. Acreditem, comprei o LP com as músicas. O que é um LP? rs

    Curtir

Os comentários estão fechados.