Trilha sonora de cinema é uma paixão antiga

Jorge Marcelo Oliveira @ Selfie
Jorge Marcelo Oliveira @ Selfie

Artigo assinado pelo Editor Chefe do MONDO MODA Jorge Marcelo Oliveira

No começo dos anos 80, minha mãe chegou com um Álbum de Vinil da loja Skina Magazine – presente dado aos clientes. Composto por trilhas sonoras românticas de filmes de épocas diferentes. Deveria ter uns 12 ou 13 anos, e, como fã de cinema, fiquei empolgado. Contudo, para minha tristeza inicial, só havia música ‘orquestrada’… Foi uma decepção!
Mesmo assim, de vez em quando, eu ouvia. Num certo momento, comecei a gostar de algumas músicas, em especial, de ‘Um Homme Et Une Femme’, do filme ‘Um Homem e Uma Mulher’, do diretor francês Claude Leloch.
Curioso, procurei e assisti ao filme. Não gostei… Achei muito chato! Era ‘francês’ demais para um pré-adolescente com influência da cultura americana (anos depois, revi e descobri um belo filme romântico). Mesmo assim, a trilha era muito boa. Qual não foi meu susto ao descobrir que minha mãe tinha a trilha sonora? Fiquei maluco e ainda descobri a canção ‘Samba Saravah’, do Vinicius de Moraes. Achei demais! Puxa vida, como o cara conseguiu? Fiquei apaixonado pela trilha.

Com essa ‘iniciação’, voltei minha atenção às trilhas sonoras, unindo meu interesse ao cinema, que começava a aflorar com paixão. Ouvi todos os gêneros. O momento glorioso era assistir ao filme. Achava incrível um compositor produzir uma trilha sonora que marcava diversas gerações, que, assim que ouvem um acorde, já relacionam com filme. Quem nunca? Psicose, O Tubarão, ET, Guerra nas Estrelas, Indiana Jones, Blade Runner, Indiana Jones, entre outros, são tão famosos quanto aos clássicos de The Beatles, Michael Jackson, Madonna ou Rolling Stone. Alguém dúvida?
Mesmo com um cansaço da fórmula, vez ou outra, surge algo que me desperta atenção, como as incríveis trilhas dos filmes ‘Desejo e Reparação’, com aquela máquina de escrever atordoante e do ‘As Horas’, perfeita para pontuar as três décadas nos quais o filme se passa.

Filme 'Um Homem, Uma Mulher, 1966 @ Reprodução
Filme ‘Um Homem, Uma Mulher, 1966 @ Reprodução

Nem todos os filmes têm trilhas sonoras que chamam minha atenção, mas também não sou um profundo conhecedor do assunto. São escolhas subjetivas. Para mim, uma trilha sonora precisa ter emoção, mas não pode ser melosa, pois detesto qualquer coisa óbvia. Ela precisa ter o contexto do filme – incluindo os silêncios ou pausas. E a tema precisa ser forte e impactante. Enfim… Ela precisa ‘tocar’ e ‘despertar’ a memória, mas, assim como toda a música de qualidade, ela não pode ‘machucar’ seu ouvido e, sim, acaricia-lo!
Há alguns anos, com a ajuda de Flávio Casagrande, fiz uma pesquisa pelos mais famosos temas de cinema de todos os tempos. Obsessivo, encontrei 100 músicas que marcaram oito gerações. Sobre as canções… Aguarde novo artigo!