Sister Rosetta Tharpe: A Mãe do Rock & Roll

Sister Rosetta Tharpe foi uma cantora, compositora e guitarrista americana que entrou para história como a ‘Avó do Rock & Roll’. Sucesso entre as décadas de 1930 e 1940, ela foi a primeira artista a gravar canções Gospel com elementos do R&B e do Rock & Roll, que influenciou Little Richards, Johnny Cash, Chuck Berry, Elvis Presley e Jerry Lee Lewis.
Ela também foi à pioneira na utilização da guitarra elétrica com forte distorção – técnica que influenciaria o surgimento do Blues Britânico no início dos anos de 1960, em particular com sua participação na turnê europeia ao lado de Muddy Waters, em 1963, que parou em Manchester – cidade dos então adolescentes Eric Clapton, Jeff Beck e Keith Richards.

Sister Rosetta Tharpe @ divulgação

Origem

Nascida Rosetta Nubin em 20 de março de 1915 em Cotton Plant, Arkansas, a filha de Katie Bell Nubin e Willis Atkins, colhedores de algodão. A mãe cantava, tocava Mandolin e pregava na igreja Pentecostal Church of God in Christ, espaço que incentiva a expressão musical – tanto nos vocais quanto nas danças. Incentivada pela mãe, Rosetta começou a cantar e tocar guitarra aos quatro anos de idade. Continuou a cantar quando a mãe saia em turnês de música gospel pelos EUA. Na metade dos anos 20, ambas se mudaram para Chicago. Rapidamente a menina começou a chamar a atenção e se tornou um sucesso. Em 1934, a mãe a obrigou a se casar com o pregador Thomas Thorpe, que era machista e a tratava muito mal. Quatro anos depois, ela o abandonou e, ao lado da mãe, se mudou para a cidade de Nova York.

Aos 23 anos, em outubro de 1938, ao lado da orquestra de jazz Lucky Millander, gravou para a Decca Records quatro faixas: ‘Rock Me’, ‘That’s All’, ‘My Man And I’ e ‘The Lonesome Road’. A primeira foi a influencia de Elvis, Little Richards e Jerry Lee Lewis. Em 1942, o crítico musical Maurie Orodenker descreveu a canção como ‘É Sister Rosetta Tharpe cantando Spiritual rock and roll’.
Ela assinou um contrato de sete anos com a gravadora que causou furor entre os membros da igreja que estavam chocados com a mistura do Gospel com outros elementos. O público amou.

Na época, ela introduziu o grupo de cantores brancos ‘Jordanaires’ às plateias negras.
Ainda em 1938, ela se apresentou ao lado de Cab Calloway no mítico Cotton Club, no Harlem. Em seguida, subiu no palco do Carnegie Hall, que, além do sucesso, garantiu notoriedade entre os críticos.

Em 1946, ela viu a cantora Marie Knight se apresentando ao lado de Mahalia Jackson num concerto de Nova York. Reconheceu seu talento e duas semanas depois, ambas sairiam em turnê. Também iniciaram um romance que seria mantido em segredo.
Três anos depois, um incêndio caseiro matou a mãe e os filhos de Marie. Foi o rompimento da relação. Se não bastasse, a carreira de Mahalia estava em ascensão.
Em 1951, Rosetta aceitou a bizarrice de se casar num estádio em Washington diante de uma plateia de 25 mil pessoas, que levaram todo tipo de presente. Escolhido semanas antes, o noivo foi seu agente Russell Morrison. Apesar do estranho arranjo e muitas fofocas envolvendo os dois, o casamento durou mais de 20 anos.
Quando sua carreira parecia estar no final, ela foi convidada a se apresentar ao lado do trombonista britânico Chris Barber, em 1957. Foi o impulso para sua bem sucedida carreira na Europa. O auge foi uma apresentação ao lado de sua banda numa plataforma de trem para um público jovem e sedento por novidades em 1964.
Enquanto fazia sucesso na Europa, sua mãe, Katie Bell, morreu na Filadélfia em 1968. Presença constante por 53 anos, Rosetta entrou em depressão. Pouco depois, descobriu que sofria de Diabetes. Não quis tratar. O resultado foi a amputação de uma perna. Três anos depois, pouco depois de iniciar as gravações de um novo álbum sofreu novo derrame e morreu na Filadélfia.

Legado

Transitando numa fina linha entre o ‘sagrado’ à ‘escuridão’ dos nightclubs e salas de concerto ao lado de Big Bands, Tharpe levou a música Spiritual aos grande público e ajudou na ascensão do gênero com a gravação de ‘Rock Me’, em 1938, seguida de ‘This Train’, de 1939.
A canção ‘Down by the Riverside’, de 1944, foi selecionada para a seção de Registros de Gravações Nacionais da Biblioteca do Congresso Americano em 2004, como ‘a captura de sua guitarra iluminada e estilo vocal único, demonstrando com clareza sua influência nos primórdios do R&B, além dos artistas de Gospel, Jazz e Rock’.

Sua canção de sucesso ‘Strange Things Happening Every Day’, gravada em 1944, é a primeira canção Gospel a atingir o número dois na Parada da Billboard como ‘race records’, primeiro nome do R&B na época. A música é considerada a precursora do Rock’n’Roll. Em dezembro de 2017, Sister Rosetta Tharpe foi introduzida como ‘primeiras influências’ no Rock And Roll Hall of Fame.
Em 2011, o canal BBC Four exibiu o documentário ‘Sister Rosetta Tharpe: ‘A Avó do Rock & Roll’, escrito e dirigido por cineasta americano Mick Csaky. Em 2016, o musical ‘Marie And Rosetta’, baseado no relacionamento entre as duas estrou nos palcos da Companhia de Teatro Atlantic, em Nova York.
Em 25 de junho de 2019, a revista do New York Times listou que Sister Rosetta Tharpe estava entre os centenas de artistas no qual os arquivos foram destruídos no incêndio que atingiu os estúdios da Universal em 2008.

Sua opinião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.