As origens do Carnaval no Brasil

No Brasil, o feriado de carnaval é ansiosamente esperado por todos. Essa festa teve sua origem no entrudo português, onde as pessoas jogavam água, farinha e ovos umas nas outras. O entrudo ocorria no período anterior à quaresma e tinha um significado ligado à liberdade. No calendário católico, a quaresma é destinada à penitência. O entrudo recebeu no Brasil influências dos carnavais europeus, especialmente francês e italiano.
Na segunda metade do século XIX, grupos de foliões começaram a tocar bumbos e tambores no final da noite. Essa atividade ficou conhecida como bloco do Zé Pereira.

Carnaval de rua @ Reprodução

Ainda no século XIX, esses grupos começaram a incorporar a utilização de máscaras, adereços e fantasias. As pessoas se fantasiavam, enfeitavam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades.
Em São Paulo, no século XX, a Avenida Paulista era palco desse tipo de comemoração da elite da cidade. Assim, teriam nascido os primeiros carros alegóricos que hoje caracterizam as escolas de samba.
No século XX teriam surgido os primeiros cordões e, em 1928, surgiu a primeira escola de samba no Rio de Janeiro, a Deixa Falar, criada por Ismael Silva, famoso sambista do início do século passado. A Deixa Falar se transformaria mais tarde na Escola de Samba Estácio de Sá.

Deixa Falar – Primeira escola de samba do Brasil @ Reprodução

Foi no século XX que o carnaval cresceu e se tornou uma grande festa popular. Esse crescimento ocorreu com o auxílio das marchinhas carnavalescas, que ajudaram a popularizar a festa e a deixá-la cada vez mais animada. A partir daí, começaram a surgir novas escolas de samba em diversas cidades do país, principalmente no Rio de Janeiro e em São Paulo.
Surgiram também as Ligas das Escolas de Samba para verificar, através de quesitos, quais eram as escolas mais organizadas e animadas.
O carnaval de rua manteve suas tradições no nordeste do país. Em cidades como Salvador, Recife, Olinda, entre tantas outras, as pessoas saem às ruas atrás de trios elétricos ao ritmo do samba, do frevo e do maracatu.
Na cidade de Recife, por exemplo, os desfiles de bonecos gigantes são uma das principais atrações da cidade durante o carnaval. Em Salvador, as atrações são os trios elétricos embalados por músicas típicas e blocos como o Olodum, os Filhos de Gandhi e o Ileaiê.
(Pesquisa de Ricardo Barros – Professor de História do Colégio Paulista, Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da USP, Bacharel e Licenciado em História e Pedagogia pela mesma universidade.)