Brasileira escreve uma série de livros relatando sua vida na Alemanha

Há cinco anos, a brasileira Giselle F. Bohn vive com marido e dois filhos na região de Nuremberg, cidade ao norte da Bavária, na Alemanha. Foram tantas as descobertas, os perrengues e os aprendizados que ela juntou tudo em uma série de livros chamados “Alles Gut!”.

Com exclusividade, ela conta ao MONDO MODA sobre os temas abordados nos livros.

“Quando a gente se muda para outro país, já sabe que vai sentir saudade da família e dos amigos. Espera também conseguir driblar a falta daquela comidinha que só tem lá, do clima, da conversa fácil na fila do pão. E então a gente se pega sofrendo com o inesperado. Quem poderia imaginar, por exemplo, que eu ficaria, como agora, com os olhos cheios d´água e um nó na garganta só me lembrando da musiquinha do caminhão de gás?

Giselle F. Bohn – Nuremberg – 2020 @ Acervo Pessoal

Aliás, o choro é uma das coisas que ganhou um até então desconhecido status nesta minha nova vida. Já chorei porque achei uma manga do Vale do Rio São Francisco. Já chorei por vi criança com a camiseta da seleção brasileira. Já chorei porque ouvi músico de rua tocar “Ai se eu te pego!”. E olha que odeio essa música.

Para minha sorte, porém, se tem algo que eu faço muito, mas muito mais do que chorar, é rir. Rio com minha família, porque, afinal, estamos todos no mesmo barco, indo aos trancos e barrancos. Rio quando comparo as idiossincrasias de brasileiros e alemães. E, acima de tudo, rio de mim mesma e das infinitas confusões que eu faço com esta língua que, cá entre nós, não é de Deus.

Giselle F. Bohn – Nuremberg – 2020 @ Acervo Pessoal

E entre lágrimas e risos, aprendi muito. Aprendi a valorizar cada dia de sol, já que ele aqui não é o nosso companheiro de todas as horas. Aprendi a desapegar, porque é o único jeito de se viver quando se deixa uma vida toda para trás. Aprendi a abandonar os relacionamentos que só me exaurem e valorizar os que fazem bem ao coração, ainda que muitos desses relacionamentos agora se limitem a longas conversas ao telefone e a emocionantes trocas de mensagens.

Giselle F. Bohn – Nuremberg – 2020 @ Acervo Pessoal

Mudar para outro país é muito mais do que uma mudança de endereço: é uma verdadeira metamorfose interior. Além das vantagens óbvias, como aprender uma nova língua e conhecer novos lugares, há benefícios que, posso afirmar, eu certamente não previa. A gente passa a aceitar as próprias limitações, a abraçar o desconhecido, a engolir a vaidade, a viver um dia de cada vez. Um verdadeiro exercício de humildade e resignação.

Ninguém sai de uma experiência dessas como entrou. Ainda bem”.

Clique aqui para informações sobre o livro.

Sua opinião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.