Spectrocd abre acervo do colecionador musical Zeca Leal

O arquivo do colecionador Zeca Leal (1928 – 2012) “Especial Spectro Jazz – Coleção Zeca Leal”, com variadas vertentes jazzísticas, está aberto à visitação virtual pela plataforma Spectro Colecionadores de Discos / Spectrocd, idealizada e dirigida por Rafael Marcolino e Ariane Marcolino.
São 150 títulos de discos de vinil de Bill Evans, Chet Baker, Dave Brubeck Quartet, Miles Davis, Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan, Frank Sinatra, entre outros.

“Como não era comum na época (final dos anos 50) alguém no Brasil ter acesso a este tipo de material, Zeca abria sua casa em São Paulo para audições onde compareciam Marcos Valle, Cesar Camargo Mariano, Simonal, o pessoal do Zimbo Trio, para citar alguns”, conta Rafael Marcolino.

Além da visita virtual, no próximo sábado, 10 de outubro, os interessados poderão ter acesso presencial à coleção por meio de agendamento feito pelo WhatsApp (19) 99129.6101 (vagas limitadas).

Sobre Zeca Leal

Zeca Leal foi colecionador da música de qualidade. Sentia prazer em informar as novidades e mesmo tendo suas preferências, não se esquivava da pluralidade de gêneros e estilos nos encontros com os músicos, na prática da escuta e do aprendizado. “Era uma enciclopédia”, lembra a filha do Zeca, Marina Leal, artista plástica e produtora. “Todos que por lá passaram guardam na memória, a riqueza desse convívio ligado pelo fio amoroso da sonoridade: Dick Farney, Hamilton Godoy, Zimbo Trio, Cesar Camargo Mariano, Gogô (Hilton Jorge Valente) entre tantos outros”, elenca.
Além do piano meia cauda, Zeca adquiriu baixo e bateria para receber os artistas e possibilitar o maior envolvimento musical, numa época onde não existia essa extensa aparelhagem de ponta. “Piano era sua paixão”, revela Marina, citando os mestres do pai, Gogô e Silvinha Góes.
“E Zeca vivia aquilo como uma religião”, diz a filha. “Foram anos de formação e informação de muitos instrumentistas e amantes da música. Quem pode viver aquela magia e generosidade são gratos até hoje com lembranças de muitas histórias”, salienta.
No site da Spectro, o visitante poderá apreciar o farto material iconográfico, com imagens dos artistas, capas autografadas e com dedicatórias, como a do pesquisador musical Zuza Homem de Melo, que morreu no último dia 4 de outubro.
Outro ponto a destacar são algumas edições dos anos 1956/1957, que trazem recortes da prestigiada revista Downbeat com críticas daqueles títulos.

Sobre a Spectro

A Spectro começou quando Rafael adquiriu um lote de CD’s com vários títulos que já possuía, e sua mulher perguntou: “O que você vai fazer com tudo isso?”. Respondeu: “Vou abrir uma loja online, você me ajuda?”. Assim, juntando com mais algum material do compadre David Cappelini (que há décadas apresenta a Rafael todas as facetas do ProgRock), o site entrou no ar.
A plataforma organizou as mostras “A Arte da Capa”, que mostra a inventividade das capas de discos; e “Do Samba ao Soul,” uma trajetória da história da música brasileira.
Nestes 20 anos de andanças, o casal Rafael e Ariane já esteve em mais de 10 países, percorrendo lojas fantásticas de discos, e assistindo a shows e festivais, sempre à procura do som.

Sua opinião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.