Descobri que estava morto – A farsa explicando a realidade

Coluna assinada pela Livreira Micaela Huertas – especial para o MONDO MODA

Em 2011, o escritor J. P. Cuenca foi convocado a comparecer à delegacia para tomar conhecimento de que um cadáver fora identificado com seu nome e documento. O fato é real e o autor o comprova com cópias dos documentos no início deste livro onde narra sua investigação e sua vida a partir deste acontecimento.
A narração se desdobra em thriller e autobiografia conforme Cuenca investiga quem é o verdadeiro morto, o que lhe aconteceu e, principalmente, quem é Cristiane Paixão, a mulher que o identificou com seu nome, enquanto se debate com as insatisfações de sua vida amorosa, seu trabalho como escritor, a vida na capital carioca e suas decepções com a sociedade brasileira.
O livro traça um triste retrato do Rio de Janeiro pré-olímpico, com uma crítica social e política ferrenha a administração da cidade e a sociedade carioca, todos empenhados em tornar o Rio perfeito para os eventos mundiais, mesmo que só seja possível matando e escondendo seus problemas sociais.

Descobri que estava morto @ Acervo Micaela Huertas

A capacidade do autor em reconhecer e compreender este cenário o leva a odiar o Rio e viver desejando se mudar. Mas, juntamente com a investigação, esse desejo por se expatriar acaba por desnudar as dúvidas e inseguranças do próprio autor, tornando a estória uma reflexão de quem ele mesmo é.
De certa forma, Cuenca se coloca como escritor/narrador/personagem, levando o leitor para uma trama intricada e alucinante no qual o mais difícil é discernir a farsa da realidade.
Partindo da farsa usada em seu nome, ele nos mostra os bastidores da sociedade carioca, do milagre olímpico, da pacificação do Rio e de sua vida como escritor.
O livro virou filme em 2016, com roteiro e direção do próprio autor com o título ‘A morte de J. P. Cuenca’.

Foi também eleito o melhor romance do ano pelo Prêmio Literário Biblioteca Nacional e finalista do Prêmio Jabuti.

Está esgotado nas livrarias, um usado pode ser adquirido a partir de R$ 13,00.

Sua opinião

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.