Leitores do MM respondem: “Qual é seu Comfort Movie?”

Comfort movie (Filme Aconchego) é aquele com trama suave, fofa, meiga… Que dá uma sensação de aconchego e ânimo depois daquele dia de trabalho infernal… Ou uma tarde abafada ou empoeirada do ar condicionado – que seu chefe muquirano não contrata ninguém para limpar…

Também pode ser aquele filme bobinho ou lacrimejante… Que contribui para aquele choro de tristeza, frustração e desesperança… Ou até sem um motivo específico…
Enfim… É o filme evoca memórias e sentimentos…

MONDO MODA convidou alguns leitores para contar… Qual é seu Comfort Movie? E por quê?

Andrea Mesquita @ Facebook

Andrea Mesquita (jornalista): “Cinema Paradiso (HBO Max). Acho aquele filme de uma poesia inigualável. Sempre que assisto me sinto feliz, apesar da choradeira. Lindíssimo filme. Assisti no cinema e foi uma vergonha tão grande que o moço atrás de mim perguntou se eu estava passando mal. Porque terminou o filme e eu fiquei sentada na cadeira chorando de soluçar”.

 

 

 

Nelcy Tocco @ Rede Social

Nelcy Tocco (beauty artist): “Tenho vários: Ghost – Do Outro Lado da Vida (Netflix), Flashdance (Telecine) e De repente 30 (Netflix). Por vários motivos, mas o princial é porque me aliena totalmente”.

 

 

 

 

Ana Paula Barros Novembro 2017 @ Acervo pessoal

Ana Paula Barros (arquiteta e designer): “O Fabuloso Destino de Amélie Poulan (AppleTV+). Gosto da forma leve e lúdica de como ela vê as situações cotidianas. Além do filme ser em Paris e ter um cenário lindo, a fotografia e as cores também são incríveis”.

 

 

 

 

Luis Henrique Salvador @ Acervo Pessoal

Luis Henrique Salvador (designer de interioes): “Nossa São tantos! E.T – O Extraterreste (Star+)., Flashdance (Telecine), Tootsie (HBO Max), Uma Linda Mulher (Star+), Um Lugar Chamado Notting Hill (Star+), Recém Chegada… Para mim os três primeiros são meus prediletos, pois E.T foi minha primeira ida ao cinema e quando despertou em mim o amor real. Flashdance é minha base musical junto com Os Embalos de Sábado à Noite, mas ele tem a doçura e coragem da Alex, a beleza física, a descoberta da possibilidade de romance. Tootsie, eu acho lindo! Piegas, brega e a interpretação do Dustin Hoffman olhando para a Jéssica Lange é a coisa mais maravilhosa!”.

 

 

Ana Barbosa @ Divulgação

Ana Barbosa (gastrônoma): “Quando colocamos em pauta um filme que nos remete a um lugar de conforto e boas lembranças, o que me vem em mente é o clássico ‘A História Sem Fim’ (HBO Max), seu enredo de fantasia me remete lembranças de minha infância com minhas irmãs. Uma película que nos faz viajar juntos na fantasia, um refúgio para os problemas cotidianos”.

 

 

 

Adelaine Cruz @ Rede Social

Adelaine Cruz (jornalista): “Não tenho um. Procuro algum filme com músicas. Os bem água com açúcar do Elvis Presley, tipo Feitiço Havaiano, e também Mamma Mia (Star+) e Dirty Dancing (Netflix). Nos últimos anos, os filmes da sequência Minha Mãe é uma Peça (Netflix) serviam como válvula de escape, porém, com a morte do Paulo Gustavo, os filmes passaram a remeter a uma dor. Morro de rir e, na sequência, choro.”

 

 

João Paulo Faccio @ Facebook

João Paulo Faccio (executivo de contas): “De Volta ao Futuro I e II (Netflix). Eu já sei o enredo, as falas tudo… Então me relaxa… E me divirto! Também me remetem à infância na Sessão da Tarde”.

 

 

 

 

Jocielly Bobinsky @ Acervo pessoal

Jociely Bobinsky (Chef): “Intocáveis (Telecine). Como mostra que a vida pode ser diferente apesar das dificuldades. Mostra que, mesmo sem andar ou ter movimento físico, ele pode se apaixonar, conhecer lugares… Fazer coisas que tem vontade. E, às vezes, a gente se limita tanto achando que não é possível”.

 

 

 

 

 

Júlia Magalhães @ Selfie

Julia Magalhães (fotógrafa): “Qualquer um de Harry Potter (HBO Max). Qualquer um. Memoria afetiva. Li os livros e vi os filmes na idade dos personagens. Então é total filme pra aliviar a cabeça”.

 

 

 

 

Erica Soares @ Acervo Pessoal

Erika Soares (jornalista): “50 First Dates/Como Se Fosse a Primeira Vez (Netflix). Faz bem pra alma. Têm outros, mas esse… Porque é leve, engraçado, tem bons atores, bichinhos, o mar… Você assiste sem pensar muito e ainda conta uma história de amor diferente”.

 

 

 

 

Simone Bernoldi @ Acervo Pessoal

Simone Bernoldi (empresária): “Cartas para Julieta ou O amor não tira férias. Cartas: cenário imbatível da Toscana que me remete à memórias afetivas, além de falar sobre comida e principalmente porque é romântico. O segundo, obviamente primeiro pelo maravilhoso Jack Black, a estória é gostosa. Mostra os dilemas femininos de forma levinha e também é romântico. Além disso, o meu “galã” do filme não é o bonitinho óbvio e sim o mais inteligente, interessante e bem humorado (minha exata escolha da vida real)”.