Protagonismo da mulher negra é o destaque da comédia ‘Harlem’

Criada por Tracy Oliver e com produção executiva da comediante Amy Pohler e do músico Pharrell Williams, Harlem é uma série da Amazon Prime sobre a vida de quatro jovens negras moradoras do famoso bairro de Nova York, que dá nome à produção.
A professora de Antropologia Camille (Megan Good), a executiva Tye (Jerrie Johnson), a estilista Quinn (Grace Byers) e a atriz/cantora Angie (Shoniqua Shandai – excelente) são amigas de longa data, com personalidades, estilos, carreiras e vidas amorosas diferentes – uma delas é lésbica. Em comum, os dilemas trazidos pela proximidade com os 30 anos. Em dez episódios, a série conta com participações especiais das veteranas Whoopi Goldberg, Tamara Tunie e Jasmine Guy.

Harlem (2021) @ Amazon Prime

Lógico que, à primeira vista, ‘Harlem’ parece uma versão atualizada de ‘Sex And The ‘City com mulheres jovens, bonitas e elegantes vivendo numa metrópole como Nova York. De fato, isto acontece. O que muda é que agora o Protagonismo Negro é o destaque. E isto, meus caros, é o que faz a grande diferença.

Em entrevista ao Entertainment Weekly, a showrunner Tracy Oliver contou:

“Simplesmente não havia muitas histórias de amizade de mulheres negras no mercado, e essas sempre foram minhas favoritas. Normalmente, o que eu faço quando há algo faltando que eu realmente quero ver é apenas decidir, ok, bem vou escrever sobre isso. E foi o que fiz”.

Repleta de citações da cultura pop e muita música representativa, ‘Harlem’ apresenta as complexas relações do universo feminino com bom humor, até nas questões mais delicadas.