O corajoso Tropa de Elite 2

Em tempos cada vez mais conturbados no cenário político nacional, assolados pela corrupção desenfreada, violência urbana e falta de proteção, os filmes Tropa de Elite (2007) e Tropa de Elite 2 (2010) não poderiam ser mais “Fashion” nesse quesito, embora sejam obras de ficção. Dirigidos e produzidos corajosamente por José Padilha, os filmes não só agradaram em cheio, mas influenciaram o povo a tratar policiais honestos como heróis, a exemplo da ocupação no Conjunto de Favelas do Alemão por policiais e Forças Armadas, em novembro de 2010.
É claro que o mérito não é apenas de Padilha. Os ótimos roteiros de Bráulio Mantovani, baseados em argumentos do diretor, e um elenco impecável deram vida a personagens polêmicos e politicamente incorretos.
Embora a trama se passe no Rio de Janeiro e a propaganda contra o filme tenha sido forte, a maior parte dos brasileiros se identificou com o herói-vilão do Capitão Nascimento (Wagner Moura) e sua equipe do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais).
Polêmica
O filme foi acusado de ser fascista, fazer apologia à tortura, ser unilateral, estimular a violência policial – além de extremamente violento. Isso tudo gerou grande debate na mídia brasileira que dividiu opiniões colocando, em segundo plano, a qualidade cinematográfica de um dos melhores filmes de todos os tempos – salvo divergências pelo primeiro ou sua sequência.
Foi descartado pelo Ministério Público Brasileiro para concorrer à seleção pré-Oscar ao prêmio de melhor filme estrangeiro, em 2008. Mas no mesmo ano conquistou o Urso de Ouro de melhor filme no Festival de Berlim, mesma categoria no Festival Hola Lisboa e mais oito prêmios no Festival do Cinema Brasileiro, entre eles o de melhor filme e direção.
Argumento
A história se passa em 1997, e é narrada em primeira pessoa pelo Capitão Nascimento, policial considerado incorruptível ainda que se utilize de artifícios pouco ortodoxos como tática investigativa. É um Personagem cheio de conflitos e estresse que procura um substituto para que possa sair do BOPE e cuidar de seu filho longe desse cenário. Motivo de sobra para não querer mais lidar com uma polícia corrupta, bandidos perigosos com armamento de última geração, e ainda uma classe média praticante da moral e bons costumes, através de ONGs, mas que financia o tráfico utilizando a droga como forma de lazer.
Com julgamento próprio, o público colocou o longa de 2007 na sétima posição do ranking nacional de bilheterias e, é provável que só não o tenha elevado à primeira, porque paradoxalmente contribuiu com uma pirataria sem precedentes no Brasil. Estima-se que mais de 11 milhões de brasileiros viram o filme antes mesmo que chegasse às telas dos cinemas.
O filme inova e mostra a verdade crua de que existem policiais corruptos sim, embora outros sejam honestos. E que bandido é bandido e não dá moleza, ao contrário de outras produções que os definem romanticamente, como vítimas da sociedade.
É tão eloquente que o público continua fazendo uso dos bordões inesquecíveis como “pede pra sair” do Capitão Nascimento e do logo da caveira estampada nos uniformes do BOPE, utilizando-o de diversas maneiras – por jovens fãs em sua maioria – em camisetas, cadernos, bolsas e etc.
E ainda Tihuana, com a música tema de nome homônimo, recebeu uma certificação de platina pelos mais de 100 mil downloads pagos, segundo a ABPD (Associação Brasileira de Produtores de Disco).
Continuação
Já Tropa de Elite 2, como o próprio nome diz – o inimigo agora é outro -, foca o envolvimento de políticos corruptos com traficantes e contrabandistas, bem como o lobismo governamental. 
Alguns anos depois, o capitão Nascimento agora é coronel e foi promovido para a Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro. Com trama mais densa em relação ao primeiro, o clima de denúncia do filme cativou o público que sentiu como se tivesse soltando a própria voz.
Além de conquistar nove prêmios no Festival Brasileiro de Cinema, fez justiça ao anterior e foi selecionado a tentar uma vaga em sua categoria na corrida pelo Oscar de 2012.
No dia 27 de outubro, o filme mais visto na história do Brasil, ganhou trailer para os EUA com o título Elite Squad 2 – The Enemy Within e estou em Nova York na sexta-feira, 11 de novembro. 
As chances de estar ente os cinco selecionados pela academia são grandes, pois em sua exibição fora da competição no Festival Sundance, em janeiro nos EUA – foi comparado aos premiados: Os Infiltrados e O Poderoso Chefão – pelo blog Slash Film.
Chegou a ser descrito como sendo um filme “de tirar o fôlego, brutal e emocionante” pela revista Empire.
Tropa de Elite 2 chega aos EUA pegando geral!
(Colunista: Elaine Luze Neto)

Um comentário

  1. Ótimo artigo! Vou até assistir Tropa de Elite 2, apesar de não gostar de filmes violentos. Claudia SRC

    Curtir

Os comentários estão fechados.