O VIDEOCLIPE E A MODA JOVEM – PARTE 3

Buggles
Buggles
Na terceira e última parte do artigo O Videoclipe e a Moda Jovem, o jornalista Jorge Marcelo Oliveira analisa a ‘Estética Videoclipe’, termo que surge na década de 80.
Primeira definição: videoclipe é linguagem própria caracterizada pela montagem fragmentada, acelerada, planos curtos, justapostos e misturados, narrativa não-linear, riqueza de referenciais culturais e imagens de impacto.
Esta ‘estética’ ganhou força com a estreia da MTV (Music Television) – canal de televisão por assinatura lançado nos EUA no dia 01 de agosto de 1981. O primeiro videoclipe exibido foi Video Killed the Radio Star do grupo The Buggles. Neles, uma garotinha ouve um rádio antigo, que logo explode e se torna um aparelho de televisão. Enquanto isto, os cantores entram na cena em imagens gráficas. A garotinha cresce e surge uma estética futurista – leia-se, roupa prateada, incluindo os ternos dos componentes do grupo. A roupa prateada se tornou o referencial da moda futurista, pelo olhar de estilistas dos anos 60.
Naquele dia, 87 videoclipes foram exibidos, entre eles, Fashion, de David Bowie – um dos artistas mais ligados ao universo da moda. Começando num club, depois, ele mostra uma fila de sopa com homeless elegantes com visual do começo do século XX.
Eurythmics - Love is a Stranger
Eurythmics – Love is a Stranger
Nesta década surgiu uma nova geração de grupos com preocupação na imagem, criando estilos próprios, como Eurythmics, Culture Club, Duran Duran, Prince and The Revolution, Bon Jovi, The Police, The Cars, entre outros.
A MTV estreou no Brasil no dia 20 de outubro de 1990, com a exibição da versão remixada de ‘Garota de Ipanema’, na voz de Marina Lima. Porém, no Rio, o som falhou e, o clipe foi ao ar com som de ‘Walk of Life’, do grupo Dire Straits.
O rei e a rainha do pop
Michael-Jackson-Thriller
Michael-Jackson-Thriller

Mas a estória do videoclipe teve um antes e depois. Este ‘depois’ se chamava ‘Thriller’, de Michael Jackson, que estreou no dia 02 de dezembro de 1983.

Dirigido pelo cineasta John Landin, o clipe de 13h43 começava com um casal na sala de cinema, que assistia a um filme de terror dos anos 50. Em seguida, ela descobria que o namorado tinha ligações com zumbies, lobisomens e outros seres aterrorizantes.
Em ‘Thriller’, tudo funcionou: os efeitos especiais revolucionários, a dança com os zumbis e Michael assumindo o posto de absoluto rei do pop por seu talento inigualável.
Um reinado precisava de uma rainha. Seu nome: Madonna.
Dona de mais de 90 videoclipes, esta americana de 55 anos, nascida em Detroit, entendeu como ninguém esta nova linguagem e soube captar – em 30 anos de história de sucesso – cada período da moda como ninguém.
Madonna Anos 80
Madonna Anos 80
Sua primeira fase, “vagabond chic”, ela misturou elementos dos brechós com o street-wear, como calças jeans com cintura alta, t-shirts largas, jaquetas jeans ou de couro, com bordados, aplicações ou bottons, cabelos descoloridos e presos por laços ou faixas, scarpins coloridos, maxi cintos, maxi brincos e colares e pulseiras em profusão. Também foi a responsável pela guinada na indústria de lingerie, ao assumir o sutiã com peça fetiche. A moda jovem dos anos 80 estava representada, principalmente no videoclipe ‘Borderline’ e depois em ‘Into The Groove’, com trechos do filme ‘Procura-se Susan Desesperadamente’, considerado uma das melhores uniões de moda e cinema da época.
Como um camaleão, Madonna foi se reinventando e adotando as novidades musicais como nenhum outro artista da história da música pop. Amiga de estilistas, como Jean Paul Gaultier, Alexander McQueen, entre outros, desde cedo, ela entendeu que o casamento música e moda poderia ser benéfico para ambos os lados.
Madonna Vogue
Madonna Vogue
Fechando a década, Madonna lançou ‘Vogue’. Releitura do visual de estrelas de Hollywood dos anos 30 e 50, a dança – saída dos guetos gays americanos – se torna a coreografia preferida em toda pista de dança que se preze. É considerado o videoclipe mais fashion da história.
ANOS 90
‘Groove Is in the Heart’ do grupo Deee-Lite estreou no inverno de 1990, redefinindo a música eletrônica e criando uma nova geração de seguidores. No Brasil, a estética foi rapidamente incorporada pelo ‘clubbers’, criando uma cultura da noite forte e de impacto.
Neste período, centenas de cantores e grupos musicais beberam na fonte da ‘Estética do Videoclipe’, trazendo revoluções ou simplesmente reinterpretando o que já foi produzindo, oferecendo novas roupagens ao estilo.
Nomes como George Michael, Kylie Minogue, Chris Isaak, Spice Girls, Nirvana, Pear Jam, Red Hot Chili Peppers, Faith No More, Oasis, Britney Spears, Christina Aguilera, entre outros, são referências desta época.
ANOS 2000
Lady Gaga - Just Dance
Lady Gaga – Just Dance
Hoje, quem melhor bebe nesta fonte é a americana Lady Gaga. Seu primeiro sucesso foi em 2008, com o videoclipe ‘Just Dance’ e rapidamente se tornou a preferida de uma legião, por sua estética sexualmente agressiva e com discurso pró-minorias. Fortemente influenciada pelo Glam Rock e pelos 30 anos de ensinamento de Madonna, seus vídeos reproduzem a estética atual com ironia e com farta dose de senso fashion.
Numa outra esfera, a inglesa Amy Winehouse apostou no revival do estilo pin-up e trouxe os anos 50 – com direito a bouffant hair, olhos gatinho e vestidos com cintura marcada. Mesmo com sua morte em 2011, seu estilo continua a influenciar a maquiagem e estéticas atuais.
(Artigo: Jorge Marcelo Oliveira – Fonte: Wikepédia, entre outras)