Entenda a diferença entre ‘Grife’ e ‘Marca’

GrifesHá muitos equívocos quando se pensa em ‘moda’. Ela é tão abrangente e ao mesmo tempo tão única. Quem nunca viu por aí uma placa pendurada em alguma casa de esquina com os seguintes dizeres: “Alta Costura – Vestidos de Festa e Reparos”? Pois é, o que seriam das maisons de alta costura – localizadas apenas em Paris – quando vissem algo desse tipo?
Outro erro comum é a confusão no uso dos termos grife e marca. Você já parou para pensar que há uma diferença entre eles? Pois é, a explicação começa no próprio nome.
Tecnicamente falando, grife vem do francês graphie que significa ‘grafia’, ou seja, tudo aquilo que é feito à mão, e é exatamente isso que ela representa. Uma grife, que leva o nome do seu estilista, é sinônimo de exclusividade, já que sua produção é feita em pequena escala e de forma manual.
Já a marca é um ícone usado para representar determinada empresa e sua produção é feita em massa. No caso das marcas de luxo, o conceito de exclusividade é mantido, pois envolve desejo de consumo e status social. Ambos os termos trabalham com tradição, qualidade e custo, por isso são fáceis de serem confundidos.
Prada-and-Chanel-Cupcakes
Uma curiosidade interessante é que uma grife pode virar uma marca, mas muito difícil o contrário. Um bom exemplo disso é a Yves Sant Laurent, que inicialmente produzia vestidos exclusivos (grife) e depois passou à produção de acessórios e outros produtos em sua boutique (marca), mantendo o nome do estilista.
Assim como tudo na vida, na moda também há sempre uma explicação, por isso é algo tão interessante. Agora que vocês já sabem a diferença, procurem se informar sobre os nomes das grifes e marcas e seus significados, tenho certeza que se surpreenderão!
(Artigo colaborativo: Bruna Said Miguel)