A era das Supermodels

Linda Evangelista
Linda Evangelista
O auge das Supermodels que conhecemos hoje, como Linda Evangelista, Naomi Campbell, Kate Moss, Cindy Crawford e Inès de la Fressange, se deu na década de 1990, graças a busca pelo prestígio e glamour das mulheres da época. Foi uma época que as estrelas de Hollywood cederam espaço para as mulheres que representavam o mundo da moda.
As origens
No final do século XIX e começo do século XX, os estilistas das casas de alta costura colocavam suas esposas para desfilar suas criações para os clientes. Em 1913, Paul Poiret teve a ideia de levar cinco moças para uma turnê de desfiles pela América, surgindo, então, a ideia das modelos (comuns).
Com o tempo, as apresentações passaram a ser em grande escala e, automaticamente, exigiam um número maior de modelos. A partir daí elas começaram a usar roupas de maisons e designers importantes, ganhando destaque na mídia, tornando-se “superstars”
Inès de la Fressage
Inès de la Fressage
Cada estilista possuía sua modelo favorita. Assim, elas se tornaram garotas-propaganda, associando sua imagem à marca, como, por exemplo, Inès de la Fressange para Chanel, nos anos 80.
A francesa foi descoberta aos 17 anos, fez seu primeiro trabalho para a Elle França e em seguida desfilou para Thierry Mugler. A partir daí sua carreira decolou. Na década de 1980, por ter o rosto parecido com o de Coco Chanel, Karl Lagerfeld fez de Inès sua musa, tornando-a a primeira modelo a assinar um contrato de exclusividade com a marca, o que durou até 1989, após o escândalo do busto de Marianne (nota do editor: Inès foi convidada a se tornar modelo para um dos símbolos da cultura francesa e isto irritou o Kaizer alemão).
Inès de la Fressage
Inès de la Fressage
Em 1990, abriu sua própria boutique. Hoje, aos 55 anos, possui um livro publicado, o La Parisienne, se tornou consultora da marca Roger Viver e é parceira de LaRedoute.
Outros nomes da época foram Gia Carangi, Cheryl Tiegs, Christie Brinkley, Paulina Poriskova, Kathy Ireland, Brooke Shields, Heather Locklear e Elle MacPherson.
Anos 90
Linda Evangelista
Linda Evangelista
Linda Evangelista se destacou ao fazer sua primeira capa para a VOGUE em 1987. Isto rendeu contratos com Calvin Klein, Yves Saint Laurent , Chanel e Christian Dior. Em 1988, ela cortou os cabelos e provocou um impacto negativo entre os clientes. Contudo, as mulheres aderiram o estilo “boy” de Linda, ela reconquistou seu posto de Supermodel. Sua beleza de camaleão, como era conhecida, a levou para o top 50 das mais bonitas da época, segundo a revista People. Até hoje é considerada um dos rostos favoritos dos designers, e, aos 41 anos foi capa da VOGUE novamente.
Kate Moss
Kate Moss
Kate Moss é sucesso até hoje. Foi destaque aos 15 anos por ter uma beleza diferente das outras modelos da época, que eram mais altas e curvilíneas. Em 1992, ela ficou ainda mais conhecida após fazer uma campanha para Calvin Klein Underwear, na qual aparecia topless ao lado de Marky Mark.
Ganhou destaque no mundo da moda por sua magreza e sua carreira foi e ainda é um sucesso. Fez campanhas para Calvin Klein, o CK Be, CK One e Obsession, desfilou para Chanel, Alexander McQueen, Versace, Marc Jacobs, Balenciaga entre outras, foi 30 vezes capa da revista VOGUE e, hoje, aos 39 anos, continua sendo referência de estilo para mulheres do mundo todo.
Kate Moss em várias Vogues
Kate Moss em várias Vogues
Outras supermodels da época foram Naomi Campbell, Claudia Schiffer, Cindy Crawford, Christy Turlington, Tatjana Patitz, Stephanie Seymour, Amber Valletta, Yasmeen Ghauri, Karen Mulder, Eva Herzigová, Carla Bruni, Shalow Harlow, Nadja Auermann, Yasmin Le Bom, Laetitia Casta, Helana Christensen, Milla Jovovich e Valeria Mazza.
Anos 2000
Na primeira década do século XXI, um nome resume a carreira das modelos internacionais: Gisele Bündchen!
Finalizando
A obsessão da sociedade pelas topmodels se dá pelo fato de que as mulheres da época estavam muito ligadas ao status social, o culto ao corpo (extremamente magro), à fama fácil e o desejo de ser reconhecido como “alguém”.
Isto é presente até hoje e tende a aumentar a cada dia, assim como o sucesso das tops nacionais e internacionais que são ícones de moda e beleza ao redor do mundo.
(Artigo colaborativo: Bruna Said | Fotos: Divulgação)

Um comentário

Os comentários estão fechados.