Artigo: A Estética da Feiura

Edição de Setembro 2013 - Dazed & Confused @ Foto Daniel Jackson (1)
A palavra que mais se ouve hoje em dia é: personalidade.  O que é irônico, já que a sociedade vive no auge do padrão de beleza. Mas, a questão é: o que é belo pra você?
Primeiro ponto: para mim, é apenas uma questão de ponto de vista!
Alguns chamam de Estética da Feiura, mas vamos pensar como liberdade de expressão. Ser você mesmo é o novo preto, só que ser esteticamente diferente vai além da imagem em si e requer uma mente aberta que exala criatividade e não deixa espaço para preconceitos.
Edição de Setembro 2013 - Dazed & Confused @ Foto Daniel Jackson (2)
Quando pensamos no assunto, Lady Gaga é a primeira pessoa que nos vem a cabeça. Louca, esquisita, dramática e chamativa, diriam as mentes alienadas. Porém, vestir o que quiser, onde quiser, porque quer faz parte do livre arbítrio do ser humano e na realidade mostra autenticidade, originalidade, segurança e independência. E isso deveria ser visto como uma coisa boa. No caso dela e de muitas pessoas que simplesmente não se importam em viver fora do padrão, apresentam esse comportamento como resposta a anos de sofrimento e preconceito para serem aceitas na sociedade. Uma perda de tempo.
Edição de Setembro 2013 - Dazed & Confused @ Foto Daniel Jackson (3)
Qualquer pessoa que trabalha na área de moda já ouviu essa pergunta clássica: “Por que vocês fazem aquelas roupas horríveis para os desfiles? Quem usa aquilo?”. Da mesma forma que os estilistas, como Viktor & Rolf e Alexander McQueen, criam peças vanguardistas para transmitirem um conceito interno, sentimentos e sensações, as pessoas adeptas da “estética da feiura” também o fazem, para mostrar quem elas são, o que estão sentindo ou pensando, porque, afinal, moda é isso. É mensagem, é expressão.
O abstrato e diferente são mais aceitáveis na arte e na arquitetura, porque as pessoas, supostamente, são vistas como portadoras de um intelecto maior, apurado e pensado. Porém, são poucos os que enxergam a moda como uma arte expressiva. Para muitos é apenas uma necessidade humana de cobrir o corpo, nada que exija esforço, talento, inteligência ou dedicação. Pelo menos, não conscientemente.
Edição de Setembro 2013 - Dazed & Confused @ Foto Daniel Jackson (4)
De qualquer forma, antes de sair por ai com um colar de melancia, ou um vestido carne, quem sabe, é preciso abrir a mente! Amar a si mesmo e ao próximo da maneira que ele é. Cada um carrega uma bagagem, uma história, e isso não está apto a julgamento ou aceitação, apenas ao respeito.
Se sua felicidade depende da aceitação e da busca pela perfeição, sinto lhe informar que é lutar em vão. Não há nada pior do que uma cópia, por mais bem feita que seja, é uma mentira. Seja original. A única igualdade que devemos seguir é a dos princípios do ser humano. Respeitar ao próximo e ser você mesmo. Simples. Esse é o charme da vida. A estética da liberdade.
Edição de Setembro 2013 - Dazed & Confused @ Foto Daniel Jackson (5)
Nota da redação: as fotos que ilustram este artigo são do fotógrafo Daniel Jackson para a edição de Setembro da revista Dazed & Confused
(Artigo colaborativo: Bruna Said Miguel)

Um comentário

Os comentários estão fechados.