Meu nome é… Barbra Streisand!

Talvez os fãs da série ‘Glee’ se lembrem que a chata personagem Rachel Berry (Lea Michele) era obcecada por ela, mas a nova geração desconhece quem seja Barbra Streisand. É natural. É uma cantora, atriz, compositora, diretora e produtora, que se tornou um mito da cultura pop americana, principalmente nas décadas de 60, 70 e 80. Dona de muita personalidade, é conhecida pelo perfeccionismo musical, que a tornou cultuada por uma legião de fanáticos cinquentões e sessentões.


Em 2014, ela lançou o 34o. álbum chamado Partners, no qual (re) interpreta seus clássicos ao lado de Stevie Wonder, Michael Bublé, Billy Joel, John Legend, John Mayer, Andrea Bocelli, Lionel Richie e Elvis Presley (naqueles truques, né, pois ele morreu em 1977).
O álbum ficou no top da Billboard 200, tornando-se a única artista a liderar a parada nos anos 60, 70, 80, 90, 2000 e 2010. Até setembro de 2015, ele vendeu 955 mil cópias apenas nos EUA. Sim, caros leitores, existe uma legião de fãs que compram álbuns em CD. No cinema, os críticos reconhecem seu talento, mas todos são unanimes em afirmar que ela se auto-representa em praticamente todos os papéis, com exceção a ‘Funny Girl’, de 1968 e ‘Nosso Amor de Ontem’, de 1973 – consideradas suas melhores atuações.

Confira 10 itens escolhidos pelo site Digital Spy para entender alguns dos motivos do sucesso desta artista genial.
1. Ela nasceu no dia 24 de abril de 1942 no Brooklyn, Nova York, com o nome de Barbara Streisand Joan. Segundo dos três filhos de Emmanuel e Diana, o pai morreu de uma hemorragia cerebral quando ela tinha quinze meses de idade. Em 1983, ela produziu, dirigiu e protagonizou o filme Yentl, como uma homenagem a seu pai. A canção ‘Papa, can you hear me?’ tornou-se um fenômeno, frequentemente usada em piadas gays nas séries de TV.
2. Barbra foi casada duas vezes – Elliott Gould, (Jack Geller, em Friends) 1963-1971. Eles tiveram um filho juntos, Jason Gould, que assumiu sua homossexualidade com todo o apoio da mãe. Depois de uma longa série de namorados (sim, ela namorou MUITO), se casou com o bonitão James Brolin em 1998. Continuam felizes para sempre até hoje!
3. Barbra tirou o ‘a’ da ortografia original de seu nome quando tinha 18 anos. Ela admitiu que “odiava” a ortografia, mas se recusava a troca-lo. “Bem, eu tinha 18 anos e eu queria ser original, mas não quero mudar meu nome, pois que seria muito falso”, disse uma vez. “Você sabe, as pessoas estavam dizendo que poderia ser Joanie Sands, ou algo parecido. E eu disse ‘Não, vamos ver, se eu tirar o “a”, Barbra seria um nome único.” Em 1965, ela estrelou um especial na TV americano chamado ‘My Name is… Barbra’, que virou o título de dois álbuns que lançou em seguida.
4. Única artista a ter álbuns em primeiro lugar da Billboard por seis décadas – dos anos 60 até 2010, ganhou 52 discos de ouro, 31 de platina e 14 multi-platina. Nenhuma cantora conseguiu supera-la. Seu LP 1964 People foi o primeiro dos oito que a colocou na topo das paradas.
5. É a única artista americana que ganhou Oscar (dois), Grammy (sete), Tony, Emmy, Directors Guild of America, Globo de Ouro (seis, incluindo um Honorário), a National Medal of Arts e Peabody Awards. Também é a única que ganhou um Oscar por atuação (‘Funny People’, de 1968) e por composição (Evergreen, do filme ‘Nasce Uma Estrela’, de 1976).
6. Ela foi a primeira escolha do diretor Kurt Russell para o filme sobre Eva Perón. O projeto foi adiado até 1996, quando o diretor Alan Parker lanço o filme com Madonna no papel principal.
7. Ela criou a Fundação Streisand, em 1986, onde já arrecadou mais de US $ 16 milhões, através de subsídios, que são revertidos para “organizações nacionais que trabalham na preservação do meio ambiente, educação dos eleitores, a proteção das liberdades civis e direitos civis, mulheres e questões de desarmamento nuclear”.
8. Ela não gosta de cantar ao vivo em programas de TV. Portanto, são raras suas performances ao vivo. Contudo, em 2009, ela participou do especial Friday Night With Jonathan Ross, na Inglaterra. A canção Love is The Answer foi lançada em LP e ficou em terceiro lugar nas paradas britânicas. Dois anos depois, ela estrelou ‘Kate, Barbra is Back!’. Sua última turnê foi ‘Barbra Live’, que rodou os América do Norte e a Europa entre 2012 e 2013, arrecadando $ 66 milhões de dólares.
9. Depois de oito anos sem atuar, ela regressou ao cinema 2004 atuando em ‘Entrando Numa Fria Maior Ainda’ (Meet The Fockers), no papel de Rozalin Focker, esposa de Dustin Hoffman e mãe de Ben Stiller. O filme rendeu U$ 279,261 milhões. Em 2010 , ela participou da continuação ‘Entrando Numa Frio Maior Ainda’ e em 2012, do filme ‘Minha Mãe é uma Viagem’. Ambas as atuações renderam indicação ao Framboesa de Ouro como pior atriz do ano.
10. Numa das homenagens inusitadas, Barbra Streisand é o título de uma música house do grupo Duck Sauce (uma colaboração entre os DJs Armand Van Helden e A-Track), que atingiu o primeiro lugar da parada do Reino Unido, Irlanda, França, Austrália e Nova Zelândia, em outubro de 2010.