O que é fato ou fake na minissérie ‘Hollywood’

Primeira obra de ficção do produtor Ryan Murphy para o Netflix, a minissérie Hollywood mistura fantasia e realidade para mostrar os bastidores da indústria do cinema americana pós Segunda Guerra Mundial.
Jack Castello (David Corenswet) é o combatente de guerra que se muda para Hollywood para se tornar um ator. Mora com a mulher num hotel barato, enquanto aguarda dinheiro para comprar uma casa. Ele passa o dia em salas de cinema ou ao lado de uma multidão em frente a um estúdio de cinema que sonha ser figurante numa filme. Um dia, bebendo num bar para esquecer seus problemas, conhece Ernest ‘Ernie’ West (Dylan McDermott), um cafetão que usa um posto de gasolina como fachada para um ponto de prostituição. Jack aceita a oferta de trabalhar no local. Sua primeira cliente é Avis Amberg (Patti LuPone), esposa do dono do Ace Studios.
Jack conhece Archie Coleman (Jeremy Pope), roteirista de um filme baseado no famoso suicídio de Peg Entwistle que, enquanto espera uma chance indústria, mas sabe das dificuldades por ser negro, oferece serviços sexuais para homens em salas de cinema.
Racismo também enfrenta a aspirante a atriz Camila Washington que é obrigada a se contentar com papéis de empregadas inspiradas na personagem Mammy do filme ‘… E o Vento Levou’. Seu namorado, Raymond Ainsley (Dareen Criss) é um jovem diretor em ascensão.
No Ace Studios, Richard ‘Dick’ Samuels (Joe Mantello) é diretor executivo que sofre pelo medo de ‘sair do armário’. Ele trabalha ao lado da diretora de elenco Ellen Kincaid (Holland Taylor), que tem um crush pelo colega.
Com ajuda de Jack, Archie começa a trabalhar no posto de gasolina. Seu primeiro cliente é Roy Fitzgerald (Jake Picking), um caipira tímido que também sonha em se tornar ator. Esse cai nas graças do agente Henry Wilson (Jim Parsons), um predador sexual. Através dele, Roy muda seu nome para Rock Hudson.
Esses personagens serão unidos pelo roteiro de Archie quando ele está prestes a se tornar um filme da Ace Studios.

Elenco de Hollywood (2020) @ divulgação

Inspirado em ‘Bastardos Inglórios’ e ‘Era Uma Vez em Hollywood’, ambos de Quentin Tarantino, Ryan Murphy criou uma minissérie que aposta na ideia do ‘E se…’ para contar uma deliciosa estória que mistura fatos, situações e personagens reais com fartas doses de fantasias.
Difícil um fã de cinema não gostar da minissérie. É quase um ‘fan service’ para descobrir o que é real e o que é fantasia nos sete episódios, que culminam com uma parte final emocionante.

Jim Parson in Hollywood (2020) @ divulgação

Do bom elenco, destaca para a atuação de Jim Parsons como o polêmico e asqueroso Henry Wilson, um pré-Harvey Weinsten, o mais famoso predador sexual de Hollywood dos últimos anos. Jim brilha ao transitar pela arrogância, falta de caráter, grosseira e pretensão de um gay insuportável, porém, bastante crível. É seu grande momento pós ‘The Big Ben Theory’.
Se você não assistiu a minissérie, recomendo parar a leitura aqui.

Fato ou Fake

• O posto de gasolina de ‘Ernie’ West realmente existiu. O personagem foi inspirado em Scotty Bowers, famoso cafetão e prostituto da Era de Ouro de Hollywood. Em sua biografia ‘Full Service: My Adventures in Hollywood and the Secret Sex Live of the Stars’, Scotty revela que transou com Bette Davis, Cary Grant, Randolph Scott e o famoso diretor do FBI J. Edgard Hoover. Também organizou orgias com homens para o compositor Cole Porter.
• O roteiro original escrito por Archie é baseado na história real da atriz britânica Peg Entwistle, que realmente se jogou da letra H do letreiro Hollywoodland em 1932. Ao seu lado, havia um bilhete com a mensagem: ‘Estou com medo, sou uma covarde. Sinto muito por tudo. Se eu tivesse feito isso há um tempo, teria poupado um monte de dor. P.E.”. Durante alguns anos, pessoas afirmavam que ‘viam’ seu fantasma no local que exalava perfume de Gardênias.
• Henry Wilsson foi um poderoso agente que descobriu centenas de astros, como Rock Hudson, Tab Hunter e Robert Wagner (Casal 20). Na década de 50 inventou a expressão ‘Beefcake’ – atores/modelos/esportistas que posavam nus (nada explícito) para revistas para divulgar suas carreiras.
• De fato, Rock Hudson era gay, porém, só se assumiu em 1985 poucos antes de morrer em decorrência à AIDS. Nos anos 50, Henry Wilsson o obrigou a se casar com sua secretária Phillys Gate (que aparece na minissérie) para afastar os rumores sobre sua homossexualidade. O casamento durou 17 meses. Tempo suficiente para transforma-lo num astro de bem sucedidas comédias românticas, principalmente ao lado de Doris Day, como ‘Confidências à Meia-Noite’.
• Hattie McDaniel foi a primeira atriz negra a ganhar um Oscar de Melhor Coadjuvante pelo papel em ‘… E o Vento Levou’. Na minissérie, sua personagem é vivida pela ótima Queen Latifah, que se torna uma espécie de mentora da personagem Camila. Porém, o diálogo entre Hattie e Camila sobre ‘ser barrada na cerimônia de premiação’ não é verdade. Apesar da pressão da época, ela ficou numa mesa ao lado de dois acompanhantes, porém, longe do do elenco principal.
• Realmente Hattie era lésbica e teve um caso com a ex-atriz do cinema mudo Tallulah Bankhead. Os boatos foram confirmados nos livros ‘Hollywood Babies’, de 1965 e ‘Bastidores de Hollywood’, 2002.
• A carreira da atriz Anna May Wong (Michelle Krusiec) ficou reduzida a papéis estereotipados, como a vilã exótica ou concubinas. Em 1933, ela contou ao Los Angeles Times: “Estou farta dos papéis que represento. Por que os chineses nas telas sempre são os vilões ou tão cruéis como o vilão – assassinos, traiçoeiros, uma cobra na grama. Nós não somos desse jeito”. Assim como na minissérie, ela faz o teste para o filme ‘Terra dos Deuses’, perdeu o papel para Louise Rainer, que usou muita maquiagem para ser caracterizada como ‘oriental e levou o Oscar de Melhor Atriz em 1937.
• As festas na casa do premiado George Cukor (Oscar de Melhor Diretor em 1962 por ‘My Fair Lady’) eram famosas por reunir no mesmo espaço as maiores celebridades da época ao lado de garotos de programas das ruas de Los Angeles. E, sim, as festas terminavam em orgias na piscina e nos jardins.
• Com três aparições na minissérie, Vivien Leigh (Katie McGuinness) tem uma marcante cena com ‘Ernie’ West, que a contem antes de um surto. De fato, conforme revelou uma biografia escrita em 2019, ela sofria de Transtorno Bipolar, porém, não teve esse diagnóstico na época. Da depressão a euforia, ela teve surtos e chegou a ser internada em clínicas psiquiatras.
• A 20ª cerimonia do Oscar mistura fantasia com realidade. O roteiro manteve os nomes dos indicados, porém, os vencedores daquele ano foram ‘A Luz é para Todos’ (Filme), Elia Kazan (Diretor), Loretta Young (Atriz), Celeste Holm (Atriz Coadjuvante) e ‘Solteirão Cobiçado’ (Roteiro Original).
• Ao contrário da Camila Washington, depois da vitória de Hattie no Oscar 1940, somente em 2001 uma atriz negra ganhou o prêmio de Melhor Atriz: Halle Berry em ‘A Última Ceia’.