A história do Oscar de Melhor Figurino

A primeira premiação do Oscar aconteceu em maio de 1929, celebrando os filmes exibidos em Los Angeles de 01 de agosto de 1927 a 31 de julho de 1928. Durante quatro anos, ele não tinha nome.

Segundo a lenda, no seu primeiro dia de trabalho como bibliotecária da Academia, Margaret Herrick, ao ver uma cópia da estatueta sobre a mesa de um dos diretores, exclamou: ‘Parece o meu tio Oscar!’. Um jornalista presenciou. No seguinte, seu jornal publicava que o prêmio ganhara um nome: Oscar. Mais tarde descobriu-se que a fofa não tinha nenhum tio com este nome… A própria negou sua fala, mas, aí, o nome estava adotado.

Os figurinos só teriam reconhecimento em 1949 para os filmes feitos em 1948. Nos primeiros anos eram dois premiados: trabalho em filmes em preto & branco e em coloridos (o primeiro filme em Technicolor foi ‘Vaidade e Beleza’, de 1935).

Roger K Furse ganhou o prêmio pelo trabalho em Preto & Branco ‘Hamlet’ e Dorothy Jeakins e Karinska levaram pelo colorido ‘Joana D’Arc’. A partir de 1966, o prêmio foi unificado.

Algumas curiosidades sobre a premiação de figurinos:

  • Nos 72 anos, a maioria dos figurinos premiados foi para filmes históricos, em detrimento aos contemporâneos e de fantasia/ficção. Uma das justificativas seria que o trabalho de reconstituição é mais detalhado do que simplesmente reproduzir um figurino atual.
  • No passado, Edith Head é a recordista de vitórias (oito) e de indicações (35). Venceu por ‘Golpe de Mestre (1973)’, ‘O Jogo Proibido do Amor (1961)’, ‘Sabrina (1954)’, ‘A Princesa e o Plebeu (1953)’, ‘Um Lugar ao Sol (1951)’, ‘A Malvada (1950)’, ‘Sansão e Dalila (1949)’ e ‘Tarde Demais (1949)’. Levando em conta que, até 1966, concorreu em duas categorias (filme em preto e branco e colorido) no mesmo ano. Ela é seguida por Irene Sharaff com cinco vitórias e 15 indicações.
  • No cinema atual, a italiana Milena Canonero e Collenn Atwood são donas de quatro prêmios. Sandy Powell, James Acheson, Anthony Powelll, Charles LeMaire, Dorothy Jeakins e Orry-Kelly com três cada um.
  • Em 1953, um grupo de 30 profissionais de figurinos criou o Costume Designers Guild (Sindicado de Figurinistas). Apesar da resistência, eles acreditavam que a indústria cinematográfica precisava de mudanças, principalmente em relação ao respeito a profissão. Hoje, o Sindicato conta com 900 profissionais que atuam no cinema, televisão, animação, filmes publicitários e vídeos musicais. Eles criaram uma premiação própria em 1999, como uma forma de contemplar e honrar estes profissionais – premiados por colegas de trabalho.

Vencedores do Oscar de Figurinos

2019 Jacqueline Durran (Mulherzinhas)

2018 Ruth E. Carter (Pantera Negra)

2017 Mark Bridges (A Trama Fantasma)

2016 Collen Atwood (Animais Fantásticos e Onde Habitam)

2015 Jeanny Beavan (Mad Max: Fúria Sobre Rodas)

2014 Milena Canonero (O Grande Hotel Budapeste)

2013 Catherine Martin (O Grande Gatsby)

2012 Jacqueline Durran (Anna Karenina)

2011 Mark Bridges (O Artista)

2010 Colleen Atwood (Alice No País das Maravilhas)

2009 Sandy Powell (A Jovem Rainha Vitória)

2008 Michael O’Connor (A Duquesa)

2007 Alexandra Byrne (Elizabeth – A Era de Ouro)

2006 Milena Canonero (Maria Antonieta)

2005 Colleen Atwood (Memórias de uma Gueixa)

2004 Sandy Powell (O Aviador)

2003 Ngila Dickson (O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei)

2002 Colleen Atwood (Chicago)

2001 Catherine Martin e Angus Strathie (Moulin Rogue)

2000 Janty Yates (Gladiador)

1999 Lindy Hemming (Topsy Turvy)

1998 Sandy Powell (Shakespeare Apaixonado)

1997 Deborah L. Scott (Titanic)

1996 Ann Roth (O Paciente Inglês)

1995 James Acheson (Restauração)

1994 Lizzy Gardiner (Priscilla – A Rainha do Deserto)

1993 Gabriella Pescucci (A Era da Inocência)

1992 Eiko Ishioka (Drácula de Bram Stoker)

1991 Albert Wolsky (Bugsy)

1990 Franca Squarciapino (Cyrano De Bergerac)

1989 Phyllis Dalton (Henrique V)

1988 James Acheson (Ligações Perigosas)

1987 James Acheson (O Último Imperador)

1986 Jenny Beavan e John Bright (Uma Janela Para o Amor)

1985 Emi Wada (Ran)

1984 Theodor Pistek (Amadeus)

1983 Marik Vos (Fanny & Alexander)

1982 John Mollo e Bhana Athaya (Gandhi)

1981 Milena Canonero (Carruagens de Fogo)

1980 Anthony Powell (Tess)

1979 Albert Wolsky (All That Jazz)

1978 Anthony Powell (Morte no Nilo)

1977 John Mollo (Guerras Nas Estrelas)

1976 Danilo Donati (Casanova de Fellini)

1975 Ulla-Britt Soderlund e Milena Canonero (Barry Lyndon)

1974 Theoni V. Aldredge (O Grande Gatsby)

1973 Edith Head (Golpe de Mestre)

1972 Anthony Powell (Viagens com minha Tia)

1971 Yvonne Blake e Antonio Castillo (Nicolas e Alexandra)

1970 Nino Novarese (Cromwell, Homem de Ferro)

1969 Margaret Furse (Ana dos Mil Dias)

1968 Danilo Donati (Romeu e Julieta)

1967 John Truscott (Camelot)

Premiação para filmes p&b e coloridos

1966 Irene Sharaff (p&b) (Quem Tem Medo de Virginia Woolf?) e Elizabeth Haffendern e Joan Bridge (cor) (O Homem Que não vendeu sua alma)

1965 Julie Harris (p&b) (Darling, a que amou demais) e Phyllis Dalton (cor) (Doutor Zhivago)

1964 Dorothy Jeakins (p&b) (A Noite do Iguana) e Cecil Beaton (cor) (My Fair Lady)

1963 Piero Gheradi (p&b) (Oito e Meio) e Irene Sharaff, Vittorio Nino Novarese e Renie (cor) (Cleópatra)

1962 Norma Koch (p&b) (Que foi que aconteceu com Baby Jane?) e Mary Wills (cor) (O Mundo Maravilhoso dos Irmãos Grimm)

1961 Piero Gherardi (p&b) (La Dolce Vita) e Irene Sharaff (cor) (West Side Story – Amor Sublime Amor)

1960 Edith Head e Edward Stevenson (p&b) (Jogo Proibido do Amor) e Bill Thomas Valles (cor) (Spartacus)

1959 Orry-Kelly (p&b) (Quanto mais quente melhor) e Elizabeth Haffenden (cor) (Ben-Hur)

1958 Cecil Beaton (Gigi)

1957 Orry-Kelly (Lês Girls)

1956 Jean-Louis (p&b) (O Cadilaque de Ouro) e Irene Sharaff (cor – O Rei e Eu)

1955 Helen Rose (p&b) (Eu Chorarei Amanhã) e Charles Lemaire (cor) (Suplício de uma Saudade)

1954 Edith Head (p&b) (Sabrina) e Sanzo Wada (cor) (As Portas do Inferno)

1953 Edith Head (p&b) (A Princesa e o Plebeu) e Charles LeMaire e Emile Santiago (cor) (O Manto Sagrado)

1952 Helen Rose (p&b) (Assim Estava Escrito) e Marcel Vertes (cor) (Moulin Rouge)

1951 Edith Head (p&b) (Um Lugar no Coração) e Orry-Kelly, Walter Plunkett e Irene Sharaff (Sinfonia de Amor)

1950 Edith Head e Charles LeMaire (p&b) (A Malvada) e Edith Head, Dorothy Jeakins, Elois Jenssen, Gile Steele e Gwen (cor) (Sansão e Dalila)

1949 Edith Head e e Gile Steele (p&b) (Tarde Demais) e Leah Rhodes, Travilla e Marjorie Best (As Aventuras de Don Juan)

1948 Roger K. Furse (p&b) (Hamlet) e Dorothy Jeakins e Karinska (cor) (Joana D’Arc)