O Oscar ama atrizes que interpretam ‘Divas’

Hollywood adora atrizes que interpretam outras artistas (atuação, canto ou dança) que tiveram vidas intensas e dramáticas. E o Oscar gosta de reconhecer a excelência desses trabalhos de grandes Divas.
Para 93.ª cerimônia de entrega dos Academy Awards, duas atrizes que interpretam cantoras têm chances de uma indicação: Viola Davis (A Voz Suprema do Blues) e Andra Day (The United States vs. Billie Holiday).
Coincidência ou não, ambas escolheram cantoras – de diferentes estilos e escalas de sucesso – dos anos de 1930. Viola está a dois passos à frente, graças a uma surpreendente composição. Quanto a Andra… Saberemos em 26 de fevereiro quando seu filme estrear no Hulu.

Enquanto isso, que tal relembrar algumas das Divas que garantiram prêmios ou indicações às atrizes?
1934 – Grace Moore interpretou uma cantora de Ópera no filme ‘Uma Noite de Amor’. Perdeu para Claudette Colbert em ‘Aconteceu Naquela Noite’.
1935 – Bette Davis virou estrela pela atuação em ‘Perigosa’, sobre a estrela famosa que planejava sua volta aos palcos contando com a ajuda de um jovem arquiteto. Cravou seu primeiro Oscar (o segundo seria em 1938 por ‘Jezebel’).
1936 – Luise Rainer ganhou o primeiro dos dois consecutivos pelo retrato da atriz da Broadway Anna Held em ‘Ziegfeld – O Criador de Estrelas’. No ano seguinte, bateu Janet Gaynor na primeira versão de ‘Nasce Uma Estrela’.
1950 – Três estrelas lutaram em papéis de atrizes: Bette Davis e Anne Baxter em ‘All About Eve/A Malvada’ e Gloria Swanson em ‘Sunset Boulevard/O Crepúsculo dos Deuses’. Perderam para a desconhecida Judy Holliday em ‘Nascida Ontem’, que concorreu com outras 30 que fizeram o teste para o papel – incluindo Rita Hayworth.

Crepúsculo dos Deuses – 1950 @ Reprodução

1952 – Bette Davis voltou à corrida pelo terceiro Oscar em ‘Lágrimas Tardias/The Star’ interpretando uma atriz desesperada para reconquistar o sucesso. Susan Hayward era uma atriz em ascensão em ‘Meu Coração Canta’. Porém, era o ano de Shirley Booth em ‘A Cruz da Minha Vida’, numa versão para às telas da peça homônima.
1954 – Os fãs, os críticos, os jornalistas e a própria Judy Garland tinham certeza que sua atuação no remake de ‘Nasce Uma Estrela’ renderia um Oscar. Mas… Era o momento de Grace Kelly em ‘Amor é Sofrer’, que já era uma estrela dos filmes de Hitchcock ‘Disque M Para Matar’ e ‘Janela Indiscreta’. Dois anos depois, abandonaria Hollywood para se casar com o príncipe Rainer de Mônaco.
1955 – Eleonor Parker concorria pela terceira vez pelo papel de uma cantora de Ópera em ‘Melodia Interrompida’. Hollywood, porém, estava apaixonado pela italiana Anna Magnani em ‘A Rosa Tatuada’, também premiada nos Festivais de Veneza e Berlim.
1962 – A 10ª (e última) indicação ao Oscar de Melhor Atriz de Bette Davis aconteceu pelo sensacional ‘Que Foi Que Aconteceu com Baby Jane?’. Ela concorria com Geraldine Page, como uma atriz decadente em ‘O Doce Pássaro da Juventude’, filme baseado na peça de Tennessee Williams. O Oscar foi para… Anne Bancroft como dedicada professora de surdo mudo Helen Keller em ‘O Milagre de Anne Sullivan’.
1968 – Depois de roubar a cena na Broadway, Barbra Streisand estreava nas telas como a lendária comediante do início do século 20 Fanny Brice em ‘Funny Girl’. Mas ela teve que dividir o prêmio com Katherine Hepburn (‘Um Leão do Inverno’) no único empate na categoria de Melhor Atriz na história do careca.

Oscar 1969 Barbra Streisand (Funny Girl) e ao fundo Ingrid Bergman @ AMPAS

1972 – Antes de Andra Day, Diana Ross interpretou Billie Holiday em ‘O Ocaso de Uma Estrela/Lady Sings The Blues’, porém, Liza Minnelli era uma locomotiva como a esfuziante cantora Sally Bowles de ‘Cabaret’.

Liza Minnelli, 1972, Cabaret @ Courtesy Everett Collection

1977 – Anne Bancroft e Shirley MacLaine concorriam pelos papeis de bailarinas clássicas amigas e rivais em ‘Momento de Decisão’. Marsha Mason, uma dançarina da Broadway em ‘A Garota do Adeus’, também estava na disputa. Perderam para Diane Keaton por ‘Noivo Neurótico, Noiva Nervosa/Annie Hall’, de Woody Allen.
1979 – Bette Midler estava sensacional como a cantora de rock Mary Rose Forster em ‘A Rosa’, inspirada na vida de Janis Joplin. Mas… A chatérrima Sally Field venceu por ‘Norma Rae’. A derrota de Bette é considerada uma das maiores injustiças da história da premiação.
1980 – Quatro anos depois de brilhar em ‘Carrie, a Estranha’, Sissy Spacek foi reconhecida pelo retrato da cantora countray Loretta Lynn em ‘O Destino Mudou Sua Vida/Coal Miner’s Daugher’.
1982 – Foi um ano disputado. A adorável Julie Andrews arrasava como a cantora de ópera Victoria Grant que encontra o sucesso interpretando uma drag queen no excepcional ‘Victor/Victoria’. Jessica Lange dava o sangue como a atriz Frances Farmer no assustador ‘Frances’. Mas… Meryl Streep estava imbatível em ‘A Escolha de Sofia’. Jessica, porém, levou o Oscar de Coadjuvante como uma atriz de telenovelas em ‘Tootsie’.

Julie Andrews is Victor ou Victoria (1992) @ Reprodução

1985 – Jessica Lange interpretou a cantora country Patsy Cline em ‘Um Sonho, uma Lenda/Sweet Dreams’. Porém, a Academia finalmente reconheceu à veterana Geraldine Page em ‘Regresso para Bountiful’, depois de oito indicações anteriores.
1989 – No auge do sucesso, a linda Michelle Pfeiffer interpretou a cantora de nightclub Susie Diamond em ‘Susie e os Baker Boys’. Apesar de provar que tinha uma voz bonitinha, Jessica Tandy entrava para a história como a atriz mais velha premiada por ‘Conduzindo Miss Daisy’.
1990 – Meryl Streep representou e cantou no papel de artista em tratamento do vício de drogas – era uma livre versão da vida real de Carrie Fisher – em ‘Lembranças de Hollywood’. Não adiantou nada. Kathy Bates roubou a cena (e o prêmio) em ‘Louca Obsessão’.
1991 – Bette Midler voltaria à corrida como uma estrela do entretenimento dos soldados da Segunda Guerra em ‘Para Eles Com Muito Amor’, porém, o filme era muito ruim. Foi engolida por Jodie Foster no clássico ‘O Silêncio dos Inocentes’.
1993 – Angela Basset virou estrela por uma magnética atuação como Tina Turner em ‘Tina/What’s Love Got to Do With It’. Foi preterida pela chata Holly Hunter em ‘O Piano’.
2001 – Nicole Kidman ganhou sua primeira indicação ao Oscar como cantora Satine na fantasia musical ‘Moulin Rouge!’. Era o ano de Halle Berry quebrar 70 anos de preconceito ao se tornar a primeira atriz negra a vencer um Oscar de Melhor Atriz por ‘A Última Ceia/Monster’s Ball’.
2002 – Renee Zellweger teve a melhor atuação de sua carreira como Roxie Hart no excelente ‘Chicago’. Hollywood, porém, precisava sedimentar o caminho de Nicole Kidman como Deusa das telas e a premiou por sua Virginia Wolff em ‘As Horas’. Colega de cena de Renee no mesmo filme, Catherine Zeta-Jones garantiu o prêmio Atriz Coadjuvante por sua Velma Kelly.

Catherine Zeta-Jones, Richard Gere e Renee Zellwager em Chicago @ Divulgação

2005 – 25 anos depois do triunfo de Sissy Spacek, outra cantora country renderia um Oscar de Melhor Atriz. Foi Reese Witherspoon em ‘Johnny & June/Walk the Line’ que interpretou a cantora June Carter Cash.
2007 – A relativamente desconhecida francesa Marion Cotillard arrebataria críticos e público como Edith Piaf em ‘Piaf/La Vie em Rose’. Ela venceu a veterana Julie Christie, que voltava a cena em ‘Longe Dela/Away from Her’.
2010 – A bailarina clássica do ótimo (e estranho) ‘Cisne Negro’ garantiu o prêmio para Natalie Portman.
2011 – Personificou a melhor representação de Marilyn Monroe nas telas, Michelle Williams arrasou em ‘Sete Dias com Marilyn’. Mas… Era o ano que Meryl Streep levaria seu terceiro prêmio como a Primeira-Ministra Margareth Thatcher em ‘A Dama de Ferro’.
2016 – Meryl voltaria a cantar (pessimamente como o papel exigia) no divertido ‘Florence: Quem é Essa Mulher?/Florence Foster Jenkins’. O ano era de Emma Stone como uma atriz iniciante em ‘La La Land’.

Oscar 2017 Emma Stone vence Melhor Atriz por La La Land @ Getty

2017 – A celebre patinadora de gelo Tonya Harding ganharia às telas na pele da linda Margot Robbie em ‘Eu,Tonya’. Ela estava ótima, mas Frances McDormand estava imbatível em ‘Três Anúncios para um Crime’.
2018 – Lady Gaga acreditou que a quarta versão de ‘Nasce Uma Estrela’ poderia quebrar a maldição (Janet Gaynor e Judy Garland perderam e Barbra Streisand nem foi indicada). Ela estava no páreo com a veterana Glenn Close (‘A Esposa’) em sua sétima indicação. Ambas perderam para Olivia Colman em ‘A Favorita’.
2020 – Renee Zellweger cantou (muito bem) e interpretou (mais ou menos) em ‘Judy- Muito Além do Arco-íris’. Funcionou.