São Paulo ganha Feira do Bom Retiro

A Feira do Bom Retiro no Centro Comercial, espaço ao ar livre localizado entre as ruas José Paulino e Ribeiro de Lima, começará a funcionar no sábado, 12 de fevereiro.
Nesse local, aos sábados, as pessoas poderão saborear pratos das culinárias coreana, judaica, latino-americana, italiana e portuguesa, entre outras, comprar artesanato desses países e acompanhar uma programação cultural com vários eventos de música, dança e artes plásticas.
Com a proposta de revitalizar o bairro e mostrar sua diversidade étnica, a Feira do Bom Retiro é um projeto da Associação de Desenvolvimento de K-Town Bom Retiro criado para reunir as várias comunidades em um mesmo local para mostrar a riqueza e diversidade de sabores e experiências que o bairro proporciona.
Além das diversas barracas com comidas típicas e produtos de vários países, o público poderá participar de atividades culturais e recreativas e acompanhar uma programação com vários eventos, das 9h às 17h.
Para a abertura da Feira, no dia 12, estão confirmadas apresentações de grupos de K-pop de canto e Dance Cover, do Coral das Mães e do Grupo de Dança Tradicional Coreana, demonstrações de Taekwondo e shows com grupos de dança e instrumentais da Bolívia, entre outras atrações.

Sobre o Bom Retiro

Localizado no Centro de São Paulo, próximo a Estação da Luz, o bairro do Bom Retiro se destaca por ser um polo nacional de confecção com mais de 300 lojas, além de cafés e restaurantes, oferecendo infraestrutura completa para lojistas e mais de 120 mil pessoas que circulam por suas ruas diariamente.
Em paralelo à sua vocação comercial, o bairro também possui uma importante herança patrimonial e cultural por abrigar a Pinacoteca do Estado, o Museu de Arte Sacra de São Paulo, o Museu da Língua Portuguesa, a Estação Pinacoteca e a Oficina Cultural Oswald de Andrade, entre outros espaços que fazem parte da história da cidade como o Centro Comercial do Bom Retiro.
Com entradas pelas ruas José Paulino e Ribeiro de Lima, o Centro Comercial. inaugurado em 1960, traz uma proposta arquitetônica inovadora do arquiteto, judeu polonês Lucjan Korngold que projetou o empreendimento comercial para atender a um grupo de investidores da comunidade judaica europeia.
Com mais de 60 anos, o espaço reúne lojas, escritórios e restaurantes em torno de ruas de paralelepípedos cheias de história.